Três chapas disputam eleição da OAB na quinta-feira

1052

Disputa pela direção da entidade coloca frente a frente um ex-presidente e dois membros da atual diretoria

Três chapas disputam a direção da seção de Barueri da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em eleição que será disputada na quinta-feira, 29/11. A chapa 1 é encabeçada por João Fernando Cortez, tesoureiro da atual diretoria e apoiado pelo atual presidente, Maicel Anésio Titto, que se afasta para disputar um cargo na seccional estadual. A chapa 2 tem como candidato à presidência José Almir, que já ocupou o cargo em três gestões, não disputou em 2015 e agora tenta voltar a conduzir a entidade. A chapa 3 é liderada por Ana Luiza de Castro, secretaria geral da OAB Barueri que passou para a oposição por discordar da gestão.

A eleição da OAB será realizada quinta-feira, das 9 às 17 horas, na sede da entidade, na rua José Maria Balieiro, 13, centro de Barueri. Atualmente, pouco mais de 2 mil profissionais estão inscritos e a estimativa é de que cerca de 1,4 mil estejam aptos para votar.

A seguir, veja a análise de cada candidato a presidente sobre o momento da entidade e da classe e conheça algumas de suas propostas.

Chapa 1

oabchapa1
A partir da esquerda Leandro Mussio, Simone Titto, João Fernando Cortez, Kelly Farina e Fernanda Sallum

João Fernando Cortez é o candidato a presidente pela chapa MA1S, a número 1 na disputa eleitoral. Ele tem 21 anos de atividade profissional e representa a atual direção da entidade, da qual faz parte como tesoureiro. Ele destaca duas entre suas prioridades: estreitar os laços da OAB com a sociedade e atuar na capacitação dos advogados.

Hoje o advogado tem muitos desafios, a começar pela explosão digital”, explica. “Os processos estão disponíveis, mas em diferentes plataformas, e muitos colegas ainda têm problemas para usar essas ferramentas”, explica. Ele também enfatiza a importância no aprimoramento, citando áreas do direito que carecem de especialistas.

“O direito imobiliário é um exemplo, é pouco visto pela classe e é um mercado valioso que precisamos ocupar.” Por isso, ele entende que um dos papéis da OAB é promover cursos e fomentar o aperfeiçoamento profissional.

Cortez também destaca que a entidade tem que ter um compromisso permanente com a sociedade. Ele cita o projeto OAB vai à Escola, que dá noções de cidadania e direito a estudantes do ensino fundamental a médio, e trabalhos ligados ao Outubro Rosa e à Casa Transitória. “A OAB não pode se esquecer de sua responsabilidade social.”

No âmbito profissional, entre suas bandeiras está o trabalho de engajamento dos advogados na PEC que tramita no Senado e obriga a presença de um advogado nas causas em curso no Cejusc.

Candidato apoiado pela atual da direção, João Cortez nega que a entidade tenha se afastado da classe. “Não conheço nenhum caso de advogado que não tenha sido atendido”, afirma. “Na nossa gestão, quem quis trabalhar, teve espaço”, diz, dando como exemplo a Assistência Judiciária que, segundo ele, registrou mais de 14 mil atendimentos em três anos.

A chapa 1 é formada por João Fernando Cortez (presidente), Kelly Farina (vice-presidente), Fernanda Sallum (secretária geral), Simone Titto (secretária adjunta) e Leandro Mussio (tesoureiro).

Chapa 2

oabchapa2
A partir da esquerda, Andréa Rose, Patricia Batista, José Almir, Marcelo Silva e Luisa Correa

A chapa Reconstrução, número 2, é encabeçada por José Almir. Ele atua há mais de 20 anos em Barueri e já ocupou a presidência da Ordem por três gestões. Abriu mão de tentar o quarto mandato em 2015 para disputar a eleição regional. Junto com ele estão dois candidatos a presidente no pleito passado, Patricia Batista e Marcelo Silva

A principal bandeira da chapa, segundo José Almir, é reaproximar entidade e advogados. “A OAB se fechou nos últimos três anos, deixou de estar presente na sociedade e se afastou da classe”, diz ele. “Até os eventos, que eram abertos, passaram a ser restritos a um grupo próximo à direção”, diz ele. “Precisamos devolver a entidade para os advogados.”

Almir também reclama do que chama interrupção de programas e tem como metas ampliar o diálogo com a Justiça do Trabalho; devolver o fórum trabalhista para o centro; implantar um serviço de orientação para jovens profissionais, o “Tira Dúvidas”; solucionar o problema de atrasos de pagamento da Defensoria Pública; e criar um “plantão da sociedade”. “Será uma espécie de ‘conversa com o presidente’, aberta a toda a população”, explica.

Segundo ele, a chapa é uma reunião de pessoas que querem atuar pela classe. “Vamos trabalhar em grupo, o programa foi feito em conjunto e é assim que pretendemos agir”, conclui.

Compõem a chapa 2 José Almir (presidente), Patricia Batista (vice-presidente), Marcelo Silva (secretário geral), Andréa Rose (secretária adjunta) e Luisa Correia (Tesoureira).

Chapa 3 

oabchapa3
A partir da esquerda, Paulo Fernando Cottet, Andréia Viana Cuencas, Ana Luiza de Castro, Samara Maciel e Antônio Folla

A chapa 3, Coragem e Inovação, tem como candidata a presidente Ana Luiza de Castro. Ela tem 18 anos de carreira e sua motivação para disputar esta eleição é o desejo de reaproximar a entidade da classe. “A direção da OAB Barueri se afastou dos advogados, hoje está segregada”, afirma. “Os eventos, que são fundamentais para aproximar os profissionais, ficaram fechados. Hoje, é urgente devolver a casa para a advocacia e aproximar a diretoria da classe.”

Os componentes da chapa são ligados ao “Movimento dos Amarelos”, que se espalhou por todo o estado e foi criado para opor-se ao modelo de gestão da atual direção estadual. De acordo com a candidata, a escolha dos componentes procurou profissionais com perfil de mudança, que gostem de trabalhar em equipe e se destacaram na defesa da advocacia.

Ana Luiza faz parte da atual diretoria como secretária geral, mas rompeu por discordar do que chama de “gestão elitista”. “Eu também precisava dar uma satisfação a quem tinha votado na atual diretoria por minha causa e se frustrou, eu tinha que deixar claro que não concordo com o que está acontecendo”, explica.

Uma das metas do grupo é aumentar a participação feminina nas ações da entidade. Entre elas estão a adoção do OAB Concilia, já adotado em outras cidades, como alternativa ao Cejusc; fortalecer a Comissão de Prerrogativas; instalar um espaço para co-working, disponível para os advogados na sede da entidade; criar comissões para fiscalizar o poder público; e estreitar relações com a Vara do Trabalho para sanar os problemas que são enfrentados hoje pelos advogados.

A chapa 3 tem a seguinte composição: Ana Luiza de Castro (presidente), Paulo Fernando Cottet (vice-presidente), Andréia Viana Cuencas (secretária geral), Antônio Carlos Folla (secretário adjunto) e Samara Maciel (tesoureira).