Carapicuíba terá megaoperação para reintegração de posse na Cohab

11854

Oito escolas não terão aulas, AME não funcionará e algumas vias terão o fluxo de veículos interrompido durante a ação

Devido a reintegração de posse do terreno da rua Alterosa, na Cohab 5, em Carapicuíba, programada para esta quinta-feira, 12/9, alguns serviços da cidade estarão suspensos durante o dia. Oito escolas não terão aulas, o Ambulatório Médico de Especialidades (AME) também não funciona e vias estarão com fluxo de veículos interrompido durante a ação.

Seguindo recomendações da Polícia Militar, a prefeitura do município suspendeu aulas nas escolas Argeu Silveira Bueno, Tico Tico, Castelo Encantado, Izaura Quércia, Algodão Doce, Maria Abyasa e Maria Eliana Zadra. A Diretoria de Ensino do Estado também confirmou a suspensão das aulas na EE Aparecida de Fátima Silva.

O AME que é do governo do estado também não funcionará. Toda extensão da Rua Alterosa será fechada, a avenida Tancredo Neves ficará bloqueada entre a avenida Marginal do Ribeirão e a rua Mário Rodrigues Borba. Além disso, a Marginal do Ribeirão será interditada entre o Km 21 e a Estrada do Copaíba.

Desde sexta-feira, 6/9, 15 linhas de ônibus tiveram os trajetos alterados após um coletivo ser incendiado na Marginal do Ribeirão (leia mais). Líderes que ocupam a área da rua Alterosa afirmaram que a ação não fazia parte do movimento contra a desocupação.

Assistentes sociais do município acompanharão todo o processo da reintegração de posse e realizarão o cadastro das famílias para encaminhamento aos programas sociais. A Companhia Metropolitana de Habitação da Cidade de São Paulo (Cohab-SP) disponibilizará caminhões de mudanças para os moradores.

A ação contará com apoio da Defesa Civil, Guarda Civil Municipal, Samu, Vigilância em Zoonoses, além das Secretarias de Assistência Social, Trânsito, Segurança, Obras, Habitação, Saúde, Educação, entre outros órgãos.

Ao Barueri na Rede, a Polícia Militar afirmou que o efetivo policial estará presente na reintegração de posse ‘com o objetivo de garantir o cumprimento da decisão, a integridade física das pessoas e a manutenção da ordem pública’.

Terreno da Cohab-SP

A desocupação é resultado de processo judicial movido pela Cohab-SP, que é dona do terreno. A reintegração estava confirmada desde o início de agosto. O terreno é ocupado desde 2016 por cerca de 750 famílias.

Nas últimas semanas, diversas manifestações foram realizadas na cidade. A maior delas ocorreu no dia 30/8, quando os moradores da comunidade pararam avenidas, como a Antônio Faustino dos Santos e a Deputado Emílio Carlos. Na ocasião, pneus foram queimados e ônibus atingidos por pedradas (saiba mais).