Prefeitura investiga entrega de cesta básica em condomínio da Vila Márcia

8163
- Publicidade -

Denúncia foi feita por um leitor do Barueri na Rede

O Barueri na Rede recebeu no último mês a denúncia de um leitor que presenciou a entrega de cestas básicas da prefeitura de Barueri em um condomínio de apartamentos de alto padrão na Vila Márcia. Questionada sobre o caso, a administração municipal afirmou que está investigando a entrega.

Leitor do BnR flagrou a entrega em condomínio de alto padrão./Fotos: Arquivo pessoal
Leitor do BnR flagrou a entrega em condomínio de alto padrão./Fotos: Arquivo pessoal

A denúncia relata que há um mês, no dia 21/10, uma van a serviço da prefeitura entregou 10 caixas de cesta básica, com timbre em azul, no local. Ainda em outubro, o leitor comentou com o BnR que, na visão dele, o benefício seria para pessoas carentes e não para pessoas que moram em um condomínio como aquele, por isso havia feito a reclamação na Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (Sads) e nas redes sociais da prefeitura, mas não tinha recebido retorno.

“Isso não é justo, tem muita gente que necessita dessa cesta, pessoa carente mesmo, e todo mundo sabe que existe esta prática por funcionários da prefeitura [de desviar as cestas para conhecidos]”, contou o leitor.

Van parada em frente à portaria do condomínio estava com placa da prefeitura
Van parada em frente à portaria do condomínio estava com placa da prefeitura

Em um primeiro momento, a prefeitura afirmou que desconhecia a situação, já que toda denúncia recebida é apurada integralmente, e solicitou mais detalhes do caso encaminhado ao BnR. O leitor rebateu a resposta alegando que quando foi fazer a denúncia solicitou um protocolo assinado e foi informado de que ele seria enviado por e-mail, o que também não ocorreu.

Por fim, a administração municipal respondeu ao BnR com uma nota da Sads. O texto informa que a secretaria faz o cadastro para o recebimento da cesta básica de acordo com os dados e documentos fornecidos pelo munícipe. O cadastro tem uma periodicidade e, terminado o prazo, é feita uma nova avaliação para verificar como está a situação do beneficiário.

A pasta ressaltou que se o cadastro ainda está dentro do prazo e surge uma denúncia, é feita uma visita na casa da pessoa e um relatório social é gerado. De acordo com a Sads, a medida foi adotada com relação à denúncia do leitor na semana passada.

A nota completa que a “secretária Adriana Bueno Molina se coloca à inteira disposição dos leitores e ratifica que qualquer denúncia pode ser encaminhada para o e-mail dela ([email protected]), ou oficializada pessoalmente em seu próprio gabinete”.

Em fevereiro deste ano, o BnR noticiou que a mesma cesta básica cedida pela prefeitura, que tem venda proibida, era oferecida em uma rede social por até R$ 140 (relembre aqui).

- Publicidade -