Prefeitura confirma demolição do Teatro Municipal

11598
- Publicidade -

Segundo a administração, local ficou “pequeno” para o porte da programação que tem recebido

teatro1x
Inaugurado em 1992, TMB foi considerado um dos melhores do Brasil/Fotos: BnR

A prefeitura de Barueri confirmou que vai mesmo demolir o Teatro Municipal. Como o Barueri na Rede adiantou em reportagem publicada em maio passado (relembre), serão demolidos o TMB e o ginásio de esportes Sérgio Honda, que fica ao lado, para a construção de um centro cultural.

Segundo a administração municipal, por meio da Secretaria de Comunicação (Secom), o TMB “ficou pequeno para o porte da programação que tem recebido e dos espetáculos que poderia receber”. De acordo com a prefeitura, o teatro, que esteve ocioso, teve a agenda “revigorada” no ano passado.

Em nota, a gestão afirma que a intenção é que o novo complexo funcione como uma “Praça de Artes e um grande centro de educação pela arte, dando mais relevância a atividades que atualmente ficam ‘apertadas’ no equipamento, como as mostras da Pinacoteca e Galeria de Artes e, principalmente, as aulas das Oficinas e Núcleos de Artes”.

Sobre a necessidade de pôr abaixo o prédio, a nota da prefeitura afirma que o “projeto não poderia ser instalado apenas com obras de reforma e exige realmente a demolição das edificações existentes no local”.

Considerando o aperto orçamentário do município que tem provocado cortes em vários serviços, o Barueri na Rede pediu uma previsão dos custos de demolição dos atuais prédios e de construção do novo complexo. A prefeitura diz que esses valores ainda são desconhecidos e “só será possível saber com a publicação do edital de licitação”. Também não foi divulgada a data do início da demolição, mas agentes culturais já foram informados sobre a suspensão de atividades no local já neste mês.

Rica história

Depois de um período de relativa ociosidade, o Teatro Municipal tem tido agenda mais recheada, com exibições semanais de humor (às sextas-feiras), de música (aos sábados) e infantis (domingos), além de montagens gratuitas dentro do programa Cultura na Faixa. Artistas como Marcelo Jeneci, Ivan Lins, Zeca Baleiro, Carlinhos Maia, Marco Luque e Maisa Silva, entre outros, foram atrações no palco do TMB ano passado.

Instalado do bairro do Jardim dos Camargos, ao lado da Rodovia Castelo Branco, o teatro foi inaugurado em 1992 e por muito tempo foi considerado um dos melhores do Brasil. Tem capacidade para 600 pessoas e por seu palco passaram figuras como os atores Denise Fraga, Paulo Autran, Gloria Menezes e Paulo Guarnieri, os músicos Chico César e Renato Teixeira, e orquestras e companhias como a Bachiana, do maestro João Carlos Martins, a Jazz Sinfônica e o grupo Cisne Negro de balé.

Vários espetáculos locais também tiveram lugar no TMB, como a tradicional celebração da Paixão de Cristo da Paróquia Santa Cruz. Neste caso, os organizadores já foram informados de que deverão realizar a apresentação, marcada para o fim do mês, em outro local.

O projeto arquitetônico do TMB é do barueriense Edison Massakatu Goto. Para a concepção do futuro complexo cultural, a prefeitura tem consultado o arquiteto Rui Ohtake, idealizador de mais de 300 projetos do gênero no Brasil e no exterior.

- Publicidade -