Pais relatam falta de orientações para aulas online

1759
- Publicidade -

Queixas dão conta também de que conteúdos nas plataformas digitais não foram atualizados. Prefeitura diz que atualização é diária

Desde a suspensão das aulas nas escolas municipais no mês passado devido a pandemia do novo coronavírus, a prefeitura de Barueri disponibilizou conteúdo escolar online para que as atividades pedagógicas não fossem totalmente interrompidas (relembre). No entanto, pais de alunos reclamam que faltam orientações sobre o método e que os conteúdos nas plataformas digitais não são atualizados.

“A prefeitura divulgou aquelas plataformas digitais e não tinha nada atualizado até sexta-feira, 3/4. Ela [estudante] olha todos os dias”, contou um dos responsáveis por uma aluna da Emeief Prof. Taro Mizutori, na Vila São Luiz, ao Barueri na Rede.

Segundo os pais da aluna, trabalhos foram entregues na escola antes das aulas serem suspensas. “Na época só deram duas folhas impressas com lições sobre o coronavírus. Não deram orientações sobre o uso das plataformas digitais”, explicou. “Até ligamos na escola naquela semana que ainda não era quarentena e o professor nem lá estava”, revela.

O BnR questionou a prefeitura sobre a queixa dos pais. Em nota, a administração municipal informou que o conteúdo online está sendo atualizado diariamente por todos os professores. Para isso, basta entrar com o email do aluno no Google Sala de Aula e código gerado por cada escola – esse conteúdo pode ser orientado pelos gestores das escolas por intermédio das redes sociais de cada escola, e grupos de WhatsApp criado por todas as salas de aula, oportunidade em que professores de informática orientam os pais e alunos diariamente, garante a explicação da administração municipal.

Além disso, a nota ressalta que em casa, os professores da rede de Barueri, com a orientação do departamento de Apoio Pedagógico e Coordenadoria de Tecnologia, “seguem alimentando as plataformas tecnológicas, com conteúdo pedagógicos, para que os alunos possam seguir estudando, mesmo ausentes da escola, neste período de isolamento social”.

No entanto, os pais da aluna da Emeief Prof. Taro Mizutori desmentiram a nota da prefeitura. “A escola nunca teve nenhuma página em rede social ou grupos de WhatsApp com professores e pais, muito menos com os alunos, que são crianças. Eles não falaram nada de e-mail, senha ou grupo em whats”, refutou a responsável. Além disso, ela conta que a escola não passou o código mencionado pela prefeitura.

Novamente, o BnR questionou a prefeitura sobre a situação. Em nota, foi informado que “todas as escolas adotaram essa sistemática após a pandemia” e que o aluno ou responsável “deve entrar em contado com a gestão da escola”.

Barueri já utiliza desde 2019 o Google For Education em toda a rede de ensino, e equipamentos como chromebooks, salas de videoconferências, óculos de realidade virtual e internet nas escolas.

- Publicidade -