Índice do aluguel sobe 10,54%, mas preços caem

95

IGP-M ficou acima da inflação do ano, mas na vida real os valores de compra e aluguel têm caído e há espaço para negociação com proprietários

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), usado para calcular os reajustes dos aluguéis, registrou alta de 10,54%, cosiderando o ano todo de 2015. Na comparação com novembro, a inflação do aluguel teve forte recuo, de 1,52% para 0,49%. Os dados são da Fundação Getúlio Vargas e foram divulgados nesta terça-feira (29/12).

O índice do último mês do ano também ficou abaixo das expectativas do mercado, que apontavam para 0,55%. Ainda assim, a alta acumulada de 2015 está muito acima da registrada em 2014, que havia ficado em 3,69%.
Na vida real, no entanto, a tendência dos preços dos aluguéis é diferente do que apontam os indicadores. O preço médio, tanto para alugar quanto para vender ou comprar, vem registrando queda na Grande São Paulo desde janeiro, segundo levantamento do índice FipeZAP de locação.

SONY DSC
Valor médio dos imóveis na Grande São Paulo cai há sete meses/Foto: Divulgação

A redução no valor dos imóveis foi de 0,68% em novembro com relação a outubro, de acordo com o FipeZAP de locação. Foi a sétima queda seguida. O preço nominal dos imóveis pode enganar e sugerir uma tendência de alta.

No acumulado de janeiro e novembro de 2015, por exemplo, houve alta de 1,32% no valor dos imóveis. Mas, na realidade, isso significa queda de 7,44% quando se calcula a inflação medida pelo IBGE (9,47%) no mesmo período.

Negociação
Os cálculos dos valores dos aluguéis são feitos para novos contratos, mas especialistas sugerem que os inquilinos procurem negociar os valores para os próximos periodos. Muita gente tem conseguido até baixar o valor, pois há muitos imóveis vazios e, na maioria dos casos, os proprietários estão preferindo perder pouco no reajuste do que correr o risco de deixar a propriedade desocupada num ambiente de crise econômica.