Hygia convoca funcionários do HMB para demissão

1951
- Publicidade -

Instituto anuncia que vai dispensar servidores, mas não explica de que forma serão feitos os desligamentos

O Instituto Hygia está convocando os funcionários do Hospital Municipal de Barueri (HMB) para promover seu desligamento profissional. A organização social (OS), que administrou o HMB nos últimos três anos, dividiu os servidores em três grupos para que se apresentem para a rescisão nos dias 17 (enfermeiros), 18 (setor administrativo) e 19 (médicos e demais categorias), entre 9 e 16 horas.

A nota da Hygia, no entanto, não esclarece como se dará a dispensa. Na semana passada, o prefeito Rubens Furlan recomendou que os funcionários peçam demissão para poder concorrer a uma vaga da nova gestora, a Associação Paulista para o Progresso da Medicina (SPDM). Se fizerem isso, os servidores abrem mão de direitos como liberação do FGTS, pagamento de multa de 40%, aviso prévio e seguro-desemprego.

A alternativa seria que a Hygia assumisse as demissões, mas a OS afirmou que não tem dinheiro para pagar as verbas rescisórias. Fonte ligada ao instituto ouvida pelo BnR afirmou que a OS estuda alegar encerramento de atividade para não ter que assumir as dívidas trabalhistas. A Hygia, no entanto, continuará existindo e mantém até mesmo outro contrato em Barueri, para administração da Policlínica do Jardim Silveira.

Manifestação

Na manhã desta terça-feira, um grupo de cerca de 200 funcionários realizou uma passeata pela cidade que saiu do HMB, foi até o bulevar central e terminou na Câmara Municipal. Ali, ele pediram para ser atendidos pelos vereadores. Foi então eleito um grupo que conversou com os membros da Comissão de Saúde da câmara e ficou decidido que haveria uma reunião nesta quarta-feira, 12/4, pela manhã, no Legislativo barueriense, para discutir a situação.

 

- Publicidade -