Guardião da vida silvestre, Cetas devolve preguiça e bugio à natureza

585

Animais foram soltos depois de tratados e reabilitados para a vida selvagem por veterinários, biólogos e tratadores

bugio-1
Macaco bugio recuperado após tratamento no Cetas/Fotos: Divulgação

O Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), que realiza trabalho de reabilitação de animais silvestres doentes, provenientes de apreensão, de entrega voluntária ou vítimas de maus tratos no município e região, devolveu à natureza, dia 17/2, um bicho-preguiça e um macaco bugio.

Os animais foram recebidos do Cetas feridos e passaram por tratamento. No caso do bicho-preguiça, era uma fêmea que foi trazida no começo do mês pela Guarda Ambiental de Itapecerica da Serra. Depois de cair de uma árvore e ter sido atacada, provavelmente por um cachorro, ela foi colocada em observação e alimentada.

Já o macaco bugio veio para o Cetas após ser resgatado no Rodoanel, na região da represa Billings, e encaminhado a Barueri em agosto de 2016 pela Polícia Ambiental Militar de São Paulo. O animal, que é ruivo e de mãos ruivas –  um alouatta, gênero de macaco do Novo Mundo da família Atelidae, da Amazônia e Mata Atlântica – chegou ao Cetas com ferimentos que aparentavam sinais de briga. Foi tratado e teve sangue coletado para exame de febre amarela. O material encaminhado ao Instituto Adolpho Lutz, em São Paulo, atestou, em novembro, o resultado negativo para a doença.

De volta à natureza

preguica2-1
Bicho-preguiça libertado em seu habitat

Com a saúde restabelecida, as duas espécies estavam prontas para voltar à vida selvagem. Com o apoio da Guarda Municipal e da Secretaria de Recursos Naturais e Meio Ambiente, técnicos do Cetas liberaram os animais, já microchipados (sem radiomonitoramento) para fins de controle, ao habitat natural – uma área com cerca de quatro hectares de vegetação em estágio avançado da Mata Atlântica.

A soltura dos animais foi acompanhada também pelo secretário de Recursos Naturais e Meio Ambiente, Marco Antônio de Oliveira, o Bidu. “Foi um dia feliz, porque soltamos os dois bichos na mata, onde eles voltam ao seu habitat natural. Isso é o trabalho do Cetas”, destacou na ocasião.

Além desses, o Cetas já recebeu animais como uma onça suçuarana, que veio de Itapevi, e pinguins da cidade de Santos. São Paulo tem seis centros de triagens de animais silvestres, e um deles está em Barueri.

Cetas

Com o objetivo de atender a demanda de animais silvestres doentes, provenientes de apreensão, de entrega voluntária ou vítimas de maus tratos no município e região, o Cetas fica em área construída de 850 m2 e conta com biotério, berçário, ambulatório veterinário, internação e cozinha para animais. Tem uma equipe de veterinários, biólogos e tratadores especializados.

Está localizado na Estrada Doutor Cícero Borges de Moraes, 3.211, Bairro dos Altos, em Barueri. Funciona das 9 às 11 horas e das 14 às 16 horas, de segunda a sexta-feira. Mais informações: 4689-0314.