Grêmio Barueri toma 8 e tem racha da diretoria

86
- Publicidade -

Começo de ano já teve tudo de ruim: WO por falta de jogadores, lanterna da A3, cinco técnicos em cinco jogos e rompimento na direção

Se 2015 foi ruim para o Grêmio Barueri, 2016 está prometendo ser ainda pior. O ano mal começou e o time já tem uma coleção de problemas dentro e fora de campo. O mais recente foi a derrota por 8 a 0 para o Grêmio Osasco, domingo passado, 14/2, em plena Arena. Agora, em cinco rodadas da série A3 do Campeonato Paulista, o clube soma um WO por falta de jogadores e quatro derrotas em campo. Nesses quatro jogos, o Abelha não marcou nenhum gol e sofreu 18. Pelo WO, foi punido com um placar de 3 a 0, o que eleva seu saldo negativo para 21. É o lanterna da competição. Nos bastidores, o Abelha pena com uma troca recorde de técnicos e um racha na direção.

O Grêmio começou o campeonato sem time. Dias antes da estreia na A3, comunicou a Federação Paulista de Futebol (FPF) que não poderia participar da primeira partida, em casa, contra o Primavera de Indaiatuba, por não ter o mínimo de jogadores. Foi considerado derrotado por WO.

ro preto
Terceira rodada, derrota para o Rio Preto por 4 a 0/Foto: Diário da Região

Para o segundo jogo, conseguiu juntar doze atletas. Com o time formado às pressas, sem padrão de jogo, perdeu de 4 a 0 para o São José, fora de casa. Depois, foi derrotado como mandante pelo Noroeste por 2 a 0, com 13 inscritos. Na sequência, perdeu por 4 a 0 para o Rio Preto, como visitante, com apenas 11 jogadores. E finalmente tomou 8 a 0 do Grêmio Osasco, com 12 nomes na súmula. Ou seja, até agora o banco de reservas do Grêmio teve no máximo dois jogadores.

Na partida de domingo, o time ainda amargou a expulsão do goleiro Victor no começo do segundo tempo. Sem outro arqueiro, jogou toda a segunda etapa com o volante Leandro improvisado na meta. O jogo foi no melhor estilo pelada, virou 4 acabou 8.

Agora o time viaja para Ribeirão Preto, onde nesta quarta-feira, 17/2, enfrenta o Comercial, às 20 horas.

Briga na direção e enxurrada de técnicos

Fora de campo, a situação não está melhor. Na sexta-feira, a direção do clube divulgou nota comunicando o fim da parceria com os investidores Jaci Martinho de Oliveira e Mateus Soares por quebra de contrato.

As disputas entre a dupla e a direção do Grêmio criaram a inusitada situação de o time ter apresentado cinco técnicos diferentes em cada uma das cinco rodadas da série A3, provavelmente um recorde mundial.  

Na estreia, Toninho Cobra comandaria a equipe no jogo que não houve. No jogo contra o São José, Milton Muniz ficou no banco de reservas. Na terceira rodada, Paulo Muller dirigiu e no jogo contra o Rio Preto, o ex-gestor Matheus Soares foi o comandante. Finalmente, domingo passado, o técnico foi Paulo César.

Mais uma derrota

Na quarta-feira, 17/2, o Grêmio conseguiu anotar seus primeiros gols no campeonato. Taô e William marcaram na quinta derrota da equipe em cinco jogos, desta vez por 5 a 2 para o Comercial, em Ribeirão Preto. Outra novidade foi a repetição do técnico. Paulo César sentou no banco pela segunda vez.

- Publicidade -