Escola de Barueri vai disputar concurso internacional de tecnologia

1640

A Emef Ivani Maria Paes vai concorrer com três projetos à semifinal do Technovation Challenge

Neste sábado, 12/5, das 10 às 16 horas, a Emef Ivani Maria Paes, do Jd. dos Camargos, vai participar na Etec Sebrae, em São Paulo, do concurso Technovation Regional Pitch, que classifica projetos do estado para uma etapa internacional. Os projetos são de aplicativos de tecnologia. A etapa atual, a regional, dá uma vaga na semifinal. A grande final será em São Francisco, nos Estados Unidos, e o vencedor irá ganhar 10 mil dólares.

De Barueri, três aplicativos vão disputar neste sábado, todos criados por alunas da Emef Ivany Maria Paes. Para o professor de informática Paulo Ricardo dos Santos, incentivador do projeto na Emef, os adolescentes precisam entender que o universo tecnológico vai além das redes sociais. “Inscrevi a escola no Technovation e acreditei desde o princípio. É importante para as meninas saberem que a tecnologia não se limita apenas aos homens. Na etapa regional, teremos a chance de ir para a semifinal e quem sabe, chegar à final em São Francisco”, relata o professor ao BnR.

Dos projetos que representam Barueri na etapa regional, dois são individuais e um, de um grupo de cinco meninas. O primeiro app, o Star Quiz, foi criado por Michele Vitória, do 9° ano A, e contém em formato de jogo perguntas sobre história, matemática, geografia e língua portuguesa.

Já o aplicativo Enviroment, elaborado pelas alunas Thayza Torres, Thais Martins, Samara Silva, Joice Caroline e Kailane Santos, traz sugestões, ideias e mecanismos que ajudam a preservar o meio ambiente e ter atitudes sustentáveis no dia a dia. O último projeto é o App Goodshap, da aluna Giulia Carla. Seu objetivo é de ajudar as pessoas a manter uma vida saudável, com dicas de saúde e boa forma.

“Todos os alunos e professores da escola tiveram a oportunidade de conhecer e testar os aplicativos”, explica Paulo “É importante destacar que o workshop de tecnologia que ocorreu na escola ajudou a abrir a visão das alunas, que apenas com o uso da sala de informática e dos celulares conseguiram criar o aplicativo”, diz o professor.

Além dos 10 mil dólares para o vencedor, as equipes finalistas viajarão para os Estados Unidos e poderão apresentar seus aplicativos para investidores no Vale do Silício, o principal centro de tecnologia de informática do país. A vencedora também vai ganhar um suporte para finalizar e lançar o aplicativo no mercado, junto a uma rede de contatos para prosseguir com o projeto.