Três empresas de segurança terão de fornecer itens de higiene a vigilantes

1314
- Publicidade -

De acordo com decisão da Justiça, G4S Vanguarda, Haganá Segurança e Guarda Patrimonial de São Paulo devem cumprir medidas

Três empresas de segurança de Barueri terão de fornecer gratuitamente a seus vigilantes artigos de higiene para evitar a propagação do novo coronavírus. A determinação partiu da 1ª Vara do Trabalho de Barueri, atendendo liminar do Sindicato dos Vigilantes da cidade.

A decisão obriga as empresas G4S Vanguarda Segurança, Vigilância, Haganá Segurança LTDA e Guarda Patrimonial de São Paulo a fornecer álcool em gel 70% e máscaras cirúrgicas descartáveis, além de garantir o acesso a lavatórios com água e sabão.

Caso as empresas não forneçam os itens aos vigilantes, os funcionários não poderão ficar expostos ao contágio da covid-19, devendo permanecer em casa sem qualquer desconto no salário, até que o fornecimento seja normalizado.

Para as empresas G4S Vanguarda Segurança e Vigilância e a Haganá Segurança LTDA, o não cumprimento das obrigações pode acarretar em multa de R$ 3 mil por dia.

Já a liminar para a GP – Guarda Patrimonial de São Paulo, estabelece que a empresa deverá oferecer ainda que de forma improvisada, lavatórios com sabonete líquido e água limpa para que os funcionários possam higienizar as mãos, em revezamento a cada 15 minutos.

Também será necessário o fornecimento de álcool em gel quando não for possível a realização do trabalho próximo a lavatórios. A multa para a Guarda Patrimonial de São Paulo em caso de descumprimento é de R$ 2 mil por dia.

O Sindicato dos Vigilantes de Barueri orienta que, caso as empresas não cumpram as orientações da Justiça do Trabalho, os funcionários comuniquem a entidade para encaminhar denúncia à Justiça.

O Barueri na Rede tentou contato com as três empresas para questionar sobre  cumprimento da decisão da Justiça, mas até o fechamento da reportagem, não teve respostas.

- Publicidade -