Segundo estudo, Barueri é a 6ª cidade a gerar empregos formais

210
- Publicidade -

Município criou mais de 7 mil postos de trabalho em 2019, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Foto: Marcello Casal/Agência Brasil

Barueri foi a sexta cidade a gerar mais vagas de emprego formal no país em 2019. Isso é o que aponta um estudo feito pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Divulgados semana passada, os dados apontam que a cidade criou mais de sete mil novos postos de trabalho no ano passado.

De acordo com o relatório, foram criados no total 7546 postos de trabalho na cidade em 2019, 4130 vagas a mais em relação a 2018. É o melhor resultado do município desde 2012, quando teve 7924 postos criados. O setor de serviços foi o grande responsável pela abertura de empregos na cidade, total de 7217 vagas criadas.

Barueri ficou atrás apenas de São Paulo, que gerou mais de 80 mil postos de trabalho; Belo Horizonte – MG (22 mil); Curitiba – PR (19 mil); Brasília – DF (16 mil); e Manaus – AM (10 mil). Das cidades vizinhas, Osasco com 1302 vagas e Santana de Parnaíba com 1276, foram as mais bem ranqueadas.

O Brasil gerou mais de 644 mil novas vagas de emprego formal em 2019, 115 mil postos a mais do que o registrado em 2018. Somente o setor de serviços conseguiu abrir 382,5 mil postos. No comércio, foram 145,4 mil novas vagas e na construção civil, 71,1 mil. A região Sudeste fechou 2019 com 318 mil vagas e foi a que mais criou vagas.

O Caged é um instrumento de acompanhamento e fiscalização do processo de admissão e de dispensa de trabalhadores regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Ele é divulgado mensalmente pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

O Caged colhe dados de estabelecimentos que tenham admitido, desligado ou transferido empregado com contrato de trabalho regido pela CLT. Total dos estabelecimentos informantes, total de admissões, total de desligamentos, taxa de rotatividade, saldo ou variação absoluta do emprego, variação relativa do emprego, admissões e desligamentos por tipo de movimentação são alguns dos indicadores que o Caged leva em consideração.

- Publicidade -