Quadrilha assalta passageiros na estação Antônio João

7221
- Publicidade -

Ao menos oito bandidos participaram da ação. Eles fizeram cinco vítimas na plataforma 1 da estação

Uma quadrilha assaltou passageiros que aguardavam trem na plataforma 1 da estação Antônio João, da Linha 8-Diamante da CPTM, por volta das 22h30 de segunda-feira, 16/3.

Relatos dão conta de que ao menos oito criminosos participaram da ação, que roubou pertences de cinco vítimas. A Guarda Civil Municipal (GCM) e a Polícia Militar foram acionados, mas os bandidos conseguiram fugir.

Ao Barueri na Rede, a CPTM informou que as vítimas se recusaram ir à delegacia para fazer o boletim de ocorrência, pois fariam pela internet. Em nota, a CPTM disse que ‘a Central de Monitoramento de Segurança está analisando as imagens da plataforma da estação’.

Os assaltos em estações da CPTM não são de hoje. Em janeiro, duas passageiras foram assaltadas na plataforma da estação Carapicuíba da Linha 8-Diamante enquanto aguardavam o trem no sentido Itapevi (relembre). Uma delas relatou que não havia guardas ou policiais no momento do crime.

No mês passado, um tumulto em um trem da CPTM, também na estação Antônio João, causou pânico entre os passageiros. Segundo os relatos de leitores, se ouviam gritos de arrastão e barulhos de bomba (leia mais).

Na época, a CPTM disse que o tumulto começou após um grupo de pessoas apedrejar janelas de um trem que partia da estação Antônio João, sentido Itapevi, o que deixou os passageiros em pânico, que acionaram o botão de emergência. Não houve feridos e as pessoas voltaram a embarcar nos trens seguintes.

Convênio entre CPTM e PM

Desde o início do ano, policiais da Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho Policial Militar (Dejem) estão atuando nas 47 estações das sete linhas da CPTM, incluindo a linha 8-Diamante (Barra Funda – Itapevi), justamente para coibir crimes de furtos, roubos, assédio sexual e venda de bilhete ilegal (leia mais). O policiamento nas estações é feito no período das 7 às 23 horas.

A fiscalização do comércio irregular continua sob responsabilidade da equipe de segurança da CPTM que deve, ao flagrar a prática, apreender a mercadoria e retirar o ambulante do sistema. Além disso, a companhia poderá solicitar a presença da PM em caso de confronto para garantir a segurança dos envolvidos e dos passageiros.

O convênio entre a CPTM e a Polícia Militar prevê 445 policiais da Dejem e é estimado em R$ 68,4 milhões, considerando o período de vigência de dois anos, prorrogáveis até o limite de cinco anos, arcado pela CPTM.

- Publicidade -