Professora de ensino infantil faz projeto contra bullying nas escolas

932
- Publicidade -

Vilma Duarte, professora na Emeief Eneias Raimundo da Silva teve a ideia do projeto após ver seu filho, na época com oito anos passar por bullying na escola em que estudava

Por Ingrid Miranda

O “Amigo Sim, Bullying Não” já foi implantado em duas escolas da rede, com alunos de quatro a seis anos de idade/Fotos: Divulgação

O bullying continua sendo uma preocupação frequente para pais e alunos nas escolas. Um estudo internacional conhecido como Teaching and Learning International Survey, revelou que 28% das escolas até o ensino fundamental possuem situações semanais de intimidação ou bullying praticados por estudantes. No Brasil, o problema ocorre semanalmente em mais de 10% das escolas.

Em Barueri, uma professora que teve contato com o bullying como mãe, decidiu tratar do assunto nas salas de aula. Com o projeto Amigo Sim, Bullying Não, que tem como objetivo através de brincadeiras conscientizar crianças a não praticarem bullying, Vilma Duarte, professora do ensino infantil implantou o projeto na cidade.

O encerramento do projeto ocorreu na última sexta-feira, dia 14/6, com a presença dos cantores mirins Pablo e Karoline

“Em 2014 dei início a um projeto chamado ‘bullying não é brincadeira’, que fazia parte do meu plano de ensino. Meu filho Miguel Duarte, em 2017, na época com oito anos passou por esse tipo de preconceito na escola em que estudava, e foi quando eu conheci um projeto maior chamado Amigo Sim, Bullying Não, e que me chamou a atenção”, conta Vilma Duarte ao Barueri na Rede.

Com letra cantada pela dupla infantil Pablo e Karoline, de Campinas, o projeto Amigo Sim, Bullying Não foi idealizado por Claudio Dsantana após o filho Pablo também passar por bullying na escola. “Justamente quando vi que o Pablo já tinha sofrido bullying, e perceber que esse é um problema frequente nas escolas, eu entrei em contato com o Claudio e fechei uma parceria para as escolas em que leciono”, relata Vilma.

O objetivo é conscientizar crianças a não praticarem bullying

O projeto conta com uma música principal, com frases como: ‘e daí se é pobre, gordo, manco, baixo, alto, magro, negro, branco, por dentro somos todos iguais, o coração que conta muito mais’. A ideia é compartilhar o playback da letra com escolas de todo o país, além de camisetas e atividades que ajudem os professores a falarem sobre a conscientização do bulying.

A partir da parceria com o Claudio e o playback da música, a professora Vilma Duarte já  realizou o projeto na maternal Professora Maria Dolores Zendron Penteado, que fica na Vila Engenho Novo e nesse primeiro semestre na Emeief Enéias Raimundo da Silva, na Vila Universal, com crianças de quatro a seis anos. “Durante todo o semestre realizamos brincadeiras e atividades para que haja esse conscientização na escola. Tivemos atividades com a participação dos pais, com o desenvolvimento de cartazes e desenhos sobre o tema, além de conversas com as crianças. Também foram feitas atividades com libras para que as crianças possam se comunicar com todos os colegas”, descreve ela ao BnR.

“O projeto foi encerrado na Emeief Enéias Raimundo da Silva na sexta-feira, 14/6, em que as crianças puderam cantar junto com o Pablo e a Karoline essa letra contra o bullying, além de diversas músicas infantis com letras de aprendizagem. É um projeto muito bom para as escolas e que pode ser adaptado para qualquer idade”, termina Vilma ao Barueri na Rede.

Para quem quiser conhecer mais sobre o projeto, a página oficial no Facebook é a Amigo Sim, Bullying Não.

- Publicidade -