Prefeitura recua e nega quinta morte por envenenamento

2129
- Publicidade -

A administração municipal havia informado pela manhã que Renilton Ribeiro Freitas, de 43 anos, morreu. Mas ele permanece internado no HMB

A prefeitura de Barueri recuou e negou a informação da morte de Renilton Ribeiro Freitas, de 43 anos, por envenenamento, divulgada hoje, 17/11, pela manhã (leia mais). Em nota, a administração municipal retificou a informação de falecimento de Renilton e informou que ele permanece internado em estado grave no Hospital Municipal de Barueri (HMB).

Além da retificação, a prefeitura adicionou mais uma pessoa à lista de vítimas de envenenamento. Trata-se de Paulo Cezar Pedro, que apresentou as mesmas características dos internados Vinicius Salles Cardoso (31 anos), Sidnei Ferreira de Araújo Leme (38 anos) e Silvia Helena Euripes (54 anos).

Na manhã de sábado, 16/11, agentes da GCM foram informados de que um grupo de pessoas estava sofrendo convulsões na rua Duque de Caxias, altura da praça das Bandeiras, no centro da cidade. Após a chegada do Resgate Municipal e do Corpo de Bombeiros, foi constatado que dois homens já haviam morrido. Cinco homens e uma mulher foram levados para o Pronto Socorro Central (Sameb), onde outros dois homens acabaram morrendo no próprio sábado, todos de parada cardiorrespiratória (confira).

Segundo a prefeitura, um dos sobreviventes afirmou que uma garrafa com bebida alcoólica lhe foi oferecida por desconhecidos na cracolândia, área da região central de São Paulo que concentra moradores de rua. Ele teria então voltado a Barueri e compartilhado a bebida com outras pessoas que vivem nas imediações da esquina das ruas Duque de Caxias e Campos Sales. Oito pessoas começaram a passar mal tão logo beberam o líquido.

Denis da Silva (idade não identificada), Luiz Pereira da Silva (49 anos), Marlon Alves Gonçalves (39 anos) e Edson Sampaio da Silva (40 anos) estão entre os mortos. Nem todas as vítimas são moradores de rua, alguns eram apenas pessoas que conviviam com eles durante o dia.

A principal suspeita é de que a bebida contivesse algum tipo de veneno e essa é a principal linha de investigação da polícia. O líquido passará por análise pericial para confirmar essa possibilidade e identificar que tipo de produto foi utilizado para provocar o envenenamento. O caso está em investigação pela Delegacia Central de Barueri.

Os corpos de Marlon Alves Gonçalves, Edson Sampaio da Silva e Denis da Silva foram sepultados no domingo, 17/11, no Cemitério Municipal de Barueri, na Praça da Saudade. Já o corpo de Luiz Pereira da Silva foi sepultado no cemitério Santo Antônio, em Osasco.

- Publicidade -