Prefeitura improvisa para evitar goteiras no José Corrêa

487
- Publicidade -

Um homem foi flagrado colocando plásticos pretos na cobertura do ginásio, sem equipamentos de segurança

Sacos plásticos estão sendo colocados no teto do ginásio para evitar as goteiras/Foto: Arquivo pessoal

A prefeitura de Barueri resolveu improvisar para resolver o problema das goteiras no Ginásio José Corrêa. A administração municipal tem estendido sacos plásticos pretos em parte da cobertura do polo esportivo.

Na manhã desta quarta-feira, 26/2, um funcionário foi flagrado estendendo um plástico no local, sem qualquer equipamento de segurança, em meio a chuva que cai na cidade desde o feriadão de Carnaval.

Nas imagens, o funcionário aparece na cobertura do ginásio com um saco plástico em mãos, indo em direção a uma parte do teto que estava com outros plásticos esticados.

Durante o feriado, a Secretaria de Esportes divulgou que equipes de manutenção realizariam pinturas nas dependências do ginásio nos dias 23 e 24/2, para aproveitar a pausa nas atividades no local. A prefeitura também informou que foram instaladas lâmpadas de LED no José Corrêa durante o feriado.

O Barueri na Rede procurou a prefeitura sobre a situação das goteiras e o registro do funcionário realizando serviços na cobertura do ginásio sem equipamentos de segurança. Em nota, por meio da Secretaria de Comunicação (Secom), a administração municipal informou que “será feita uma obra definitiva que requer licitação e muito planejamento devido à complexidade e agendas do ginásio”.

A nota diz que “os funcionários da prefeitura sobem no telhado, frequentemente, e sempre com os devidos equipamentos de segurança”e que hoje, 26/2, quarta-feira de cinzas, dia sem expediente durante a manhã, quem subiu no telhado sem autorização ‘foram funcionários de uma empresa especializada em cenografia, contratada pela instituição religiosa que realizou evento no ginásio durante o feriado de carnaval’A prefeitura informou que esses funcionários foram imediatamente advertidos e retirados do local.

Por fim, a nota diz que ‘a lona que retiraram não estava relacionada com goteiras, mas para escurecer as telhas translúcidas do Ginásio e criar um ambiente iluminado artificialmente no palco e no evento’.

Caso recorrente

Os episódios de alagamento por conta de goteiras tem se repetido de forma sucessiva, tanto que o ginásio ganhou o apelido ‘Ginásio José Peneira’. Em novembro do ano passado, goteiras no teto do José Corrêa impediram a realização da primeira partida da decisão do Campeonato Paulista de vôlei feminino entre São Paulo/Barueri e Audax Osasco (relembre). Na ocasião, a prefeitura atribuiu o problema a forte chuva que caiu naquele dia.

Em 2018, um jogo também entre Barueri e Osasco foi interrompido devido aos vazamentos no telhado. À época, a prefeitura alegou que as goteiras eram provocadas por adolescentes que subiam no teto do ginásio para empinar pipas.

- Publicidade -