Pacientes do HMB reclamam de superlotação em ambulatório

697
- Publicidade -

Hospital atribuiu problema a chegada anterior ao agendamento e número excessivo de acompanhantes

Hospital registrou 815 pacientes na ocasião. Crianças e idosos ficaram em pé até serem atendidos/Foto: Arquivo pessoal

As queixas de superlotação no ambulatório do Hospital Municipal Dr. Francisco Moran (HMB) têm se tornado frequentes. De acordo com pacientes e acompanhantes, o problema se repetiu na quarta-feira, 14/2. Segundo relatos e fotos, os corredores da unidade de saúde estiveram abarrotados e muitas pessoas tiveram de esperar atendimento em pé.

“O corredor não tem nem espaço para cadeirante se locomover. Gente que vai passar no anestesista, junto com pessoal que vai dilatar a vista, com pessoas que vão marcar cirurgia em um só corredor, tudo em pé”, contou uma leitora ao Barueri na Rede

Ela chegou ao hospital às 13 horas para uma consulta agendada para as 13h30. “Tem que chegar pelo menos com 15 minutos de antecedência”, afirma. Foi atendida às 15h45. Ela atribui o problema à falta de organização: “Até um certo ponto entendo. Independentemente da quantidade de pessoas que marcaram as consultas, o que mais afetou o atendimento foram pessoas no corredor, em frente à porta do ambulatório”.

Segundo a paciente, faltou auxílio dos funcionários para deixar as pessoas nos lugares corretos, desobstruindo os corredores. “O corredor não tinha espaço para passar uma pessoa de tanta gente que tinha. Tinha de crianças a idosos em pé. Hospital desorganizado, tudo misturado”, completa. 

O BnR procurou o HMB, que em nota, por meio da Secretaria de Comunicação (Secom) da prefeitura, informou que o ambulatório recebeu mais de 800 pacientes na ocasião. O hospital atribuiu o fato a dois fatores: chegada anterior ao agendamento e número excessivo de acompanhantes.

A nota também solicita que os horários de marcação de consulta sejam respeitados, “já que a antecipação do paciente não altera o fluxo de atendimento médico” e ainda ressalta que “cada paciente deve vir acompanhado de apenas uma pessoa, para que o ambiente fique adequado e confortável para todos”.

- Publicidade -