Moradores da Vila do Sapo protestam por prejuízos com enchentes

936
- Publicidade -

Manifestação está prevista para o meio-dia desta terça-feira, 3/3, em frente à Prefeitura. Ato deve reunir cerca de 200 pessoas

Área é uma das mais prejudicadas com fortes chuvas na cidade/Foto: Arquivo Pessoal

Está prevista para esta terça-feira, 3/3, uma manifestação organizada por moradores da Vila do Sapo, no bairro Engenho Novo. Vítimas de ao menos quatro enchentes desde dezembro de 2019, os moradores vão protestar a partir do meio-dia, em frente à Prefeitura de Barueri, no Centro.

A Vila do Sapo é uma das áreas mais prejudicadas pelas fortes chuvas na cidade. Desde o final de 2019, famílias do bairro já passaram por quatro enchentes, e reivindicam há tempos por ações da Prefeitura para combater as cheias, e agora, pelos prejuízos financeiros. (veja alguns casos)

 

Mesmo com auxílio aluguel, moradores estão dormindo em colchões de doações após perderam móveis/Fotos: Arquivo Pessoal

De acordo com um dos organizadores da manifestação, muitas famílias ficaram sem ter onde dormir após as últimas enchentes no bairro. “Podemos dizer que 40% das famílias não têm onde dormir. A Prefeitura fez alguns buracos na rua e até hoje mais nada”, revela o morador. “A única coisa que a Prefeitura nos deu foi uma vassoura e um rodo. Quem nos ajudou com o que pode foi o padre de uma paróquia aqui perto, e só”, completa ele ao Barueri na Rede.

Ao BnR, outro leitor conta que tanto quem recebeu o auxílio aluguel, como quem continuou em sua residência, após perder móveis e objetos pessoais, hoje estão com as casas vazias. “Você chega nas casas e encontra o colchão que foi distribuído pela Defesa Civil no dia da enchente mais grave. Fizemos as contas dos prejuízos e mandamos para o jurídico da Prefeitura, mas só respondem que vão avaliar, sem dar respostas concretas”, desabafa o morador.

Um dos moradores reclama que o único auxílio prestado pela Prefeitura até hoje foi de vassouras e rodos para limpeza/Fotos: Arquivo Pessoal

“Chegamos a fazer reuniões com o Furlan e ele disse que iria pagar os prejuízos. Ele prometeu pagar indenizações, mas até agora não recebemos nenhuma informação e continuamos esperando, com medo de uma próxima enchente. Também prometeram fazer comportas nas casas mais afetadas, mas não fizeram ainda”, continua o leitor. “Minha casa hoje está com um mau cheiro insuportável, com cheiro de esgoto. Mesmo limpando, parece que as paredes absorveram a substância”, completa o morador ao Barueri na Rede.

Moradores ainda afirmam que foi prometido que seriam feitas comportas nas casas/Fotos: Arquivo Pessoal

A manifestação está prevista para o meio-dia, com cerca de 200 pessoas em frente à Prefeitura de Barueri. Os moradores vão utilizar megafones e cartazes pela reivindicação.

- Publicidade -