Fieb mantem professor acusado de assédio, mas diz que vai investigar denúncia

2151
- Publicidade -

Em nota, a Fieb informou que a denúncia foi recebida pela instituição e que está sendo apurada. Já alunos afirmam que até o momento, o professor continua dando aulas na escola

Após um protesto realizado nesta segunda-feira, 9/3, por alunos do ITB Professor Munir José, no Jardim Paulista, em que alunos relataram assédio por parte de funcionários, a Fieb mantem professor acusado, porém, diz que vai investigar o caso.

O episódio que motivou o protesto foi um caso de assédio em uma aula de educação física na última quarta-feira, 4/3, em que uma aluna de 16 anos conta que o professor teria ‘batido em sua bunda’ duas vezes enquanto ela tentava fazer uma cambalhota para a aula. (relembre o caso)

Ao Barueri na Rede, a Fieb enviou uma nota por meio da Secretaria de Comunicação (Secom) dizendo que esclarece aos pais, alunos e comunidade escolar que, diante da denúncia recebida na unidade FIEB Jardim Paulista e, de acordo com os procedimentos contidos na Lei Complementar n. º 277/11 – Estatuto do Servidor Público de Barueri, o instituto vai adotar todas as medidas necessárias para que os fatos sejam elucidados de maneira clara e transparente.

A nota afirma ainda, que a denúncia foi recebida pela instituição e já está sendo apurada, destacando que a Fieb como instituição séria que é e sempre foi, se compromete a apurar os fatos de maneira idônea e tomar as providências cabíveis’.

Apesar da nota, em conversa com o BnR, as alunas contam que até o momento, o professor acusado não foi afastado de seus afazeres na escola. “Chamaram na orientação as meninas que levantaram a mão ontem quando perguntadas quem já sofreu assédio na escola, e pediram para que elas escrevessem sobre os casos, que vão passar para a Fieb”, conta uma aluna. Ele continua dando aula mesmo após o protesto. “A escola nos disse que daria uma resposta até hoje à noite, mas por enquanto nada”, completa outra aluna ao Barueri na Rede.

 

- Publicidade -