Covid-19: casos confirmados, suspeitos e descartados em Barueri até agora

3075
- Publicidade -

Cidade foi de 33 para 47 casos em investigação com isolamento. Outros 17 foram descartados e três foram confirmados

Desde o início da pandemia do coronavírus (Covid-19) no mês passado no país, o Barueri na Rede vem noticiando casos suspeitos, descartados e confirmados da doença na cidade. De acordo com o último boletim epidemiológico, divulgado pela prefeitura na terça-feira, 17/3, a cidade tem 47 casos em investigação com isolamento, três casos confirmados, 17 descartados e nenhum óbito.

No dia 9/2, surgiu o primeiro caso de suspeita do Covid-19 em Barueri. Divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado, tratava-se de uma mulher, de 59 anos, com histórico de viagem a local de risco para a doença (relembre). A paciente ficou em isolamento domiciliar e seu caso foi descartado no dia 13/2 (leia mais).

Já no dia 27/2, circularam boatos nas redes sociais de que um bebê do sexo masculino estaria internado no Hospitalis de Barueri com suspeita de vírus. Os relatos davam conta de que a prefeitura estaria abafando o caso para não gerar pânico (leia mais). Mas tudo não passava de notícia falsa. A Secretaria de Saúde do Estado, a prefeitura de Barueri e o próprio Hospitalis desmentiram os boatos.

No início de março, no dia 2/3, a Secretaria de Saúde estadual registrou o segundo caso suspeito da doença em Barueri. O paciente: um homem, de 30 anos, que teria chegado da Itália com escala de voo na Espanha (confira). Ele estava em isolamento domiciliar desde o dia 26/2.

Profissionais do Pronto-Socorro Central (Sameb) tiveram a rotina mudada devido a um homem de origem francesa, que deu entrada no PS no dia 3/3 sob suspeita de ter contraído o coronavírus (relembre). Os funcionários do Sameb teriam, inclusive, tentado transferir o paciente para o Hospital Municipal (HMB).

O caso passou a circular em grupos de WhatsApp de servidores da saúde, em especial de profissionais lotados no Sameb, preocupados com a falta de condições ideais para acolher o paciente francês. Na ocasião, a prefeitura informou que o homem estava sendo acompanhado no HMB com um quadro de pneumonia bilateral que exigia cuidados.

Boletim divulgado hoje, 17/3, às 14 horas, apontou aumento dos casos em investigação com isolamento, que foi de 33 registrados na segunda-feira, 16/3, para 47/Foto: Reprodução prefeitura de Barueri

Nas redes sociais, circularam informações de que uma mulher, que morava no Japão, teria vindo visitar a família no Engenho Novo e estaria com os sintomas da doença e utilizando máscara, assim como a mãe (leia mais). Elas teriam sido avaliadas no PS do Engenho na tarde do dia 5/3. No entanto, a informação era falsa. A paciente teria, sim, passado em consulta no PS, mas não estaria com sintomas da doença e não tinha histórico de viagem.

Na sexta-feira, 13/3, o Barueri na Rede publicou reportagem sobre o panorama geral de casos na cidade (confira). A cidade tinha 12 casos suspeitos do Covid-19 em isolamento domiciliar, que aguardavam o resultado de exames; 28 casos com suspeita foram descartados e não havia casos confirmados na cidade.

Porém, no domingo, 15/3, Barueri registrou o primeiro caso confirmado de coronavírus. (leia mais). Trata-se de Wilmer Meireles, de 26 anos, moradora do Alphaville e que recebeu atendimento no hospital Albert Einstein. A paciente não viajou para o exterior, mas teve contato com caso suspeito e resolveu fazer o teste quando percebeu sintomas da doença. Ela está sendo monitorada em isolamento domiciliar.

De sexta-feira a domingo, quando foi confirmado o primeiro episódio, Barueri foi de 12 para 25 casos suspeitos em investigação em isolamento. Na tarde de segunda, 16/3, dois novos casos foram confirmados. Duas mulheres, também moradoras do Alphaville, que realizaram exames na rede privada de saúde (leia).

As três pacientes infectadas com a doença até agora em Barueri são de famílias diferentes e estão em isolamento domiciliar, seguindo as medidas impostas pelas autoridades sanitárias.

Boletins epidemiológicos

Antes de aparecerem os primeiros casos confirmados do coronavírus no país, o boletim epidemiológico era divulgado pelo Ministério da Saúde. Desde 29/2, o ministério alterou o fluxo de consolidação dos casos e passou a responsabilidade aos estados, que ganharam autonomia e ficaram responsáveis por analisar, divulgar e repassar os dados dos casos.

Em São Paulo, a Secretaria de Saúde estadual divulga os dados da situação epidemiológica diariamente. São Paulo é o estado com maior número de infectados. São 164 registros, sendo 156 na Capital, um em Guarulhos, um em Santana do Parnaíba, um em Ferraz de Vasconcelos, um em São Bernardo do Campo, um em São Caetano do Sul, um em Santo André, um em Mauá e um em Carapicuíba.

O estado também registrou a primeira morte por coronavírus no Brasil nesta terça-feira, 17/3. Trata-se de um homem, de 62 anos, que estava em acompanhamento domiciliar, após atendimento em um hospital particular. A vítima tinha histórico de diabetes, hipertensão e hiperplasia prostática, que é o aumento benigno da próstata – comum em homens mais velhos.

Desde o início da epidemia, houve 5.047 episódios suspeitos e 709 descartados nas cidades paulistas. Já o último balanço da contaminação pelo Covid-19 do Ministério da Saúde aponta que há 368 casos confirmados em todo o país.

LEIA COBERTURA COMPLETA SOBRE COVID-19 EM BARUERI

- Publicidade -