Covid-19: boatos sobre o novo vírus circulam na cidade

789
- Publicidade -

Apesar dos três diagnósticos confirmados pela Secretaria Estadual de Saúde na cidade, fake news falam em número maior

Desde que a covid-19 chegou ao Brasil e Barueri contabilizou três casos de coronavírus, dúvidas cercam moradores e boatos sobre uma quantidade maior de pacientes confirmados circulam pela cidade.

Todos os dias é divulgado um boletim pela Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo com o número de casos confirmados da covid-19 no estado e o número de casos suspeitos no estado. Em Barueri, a administração municipal tem divulgado boletins diários com casos confirmados, suspeitos, descartados e informações sobre o vírus na cidade.

Apesar da confirmação de três casos confirmados de coronavírus até segunda-feira, 16/3, o Barueri na Rede recebeu mensagens e comentários de que o número de vítimas seria maior do que é informado pelos órgãos municipais e estaduais. O jornal apurou com todos os leitores que relataram conhecer pessoas com a covid-19 na cidade para tirar as dúvidas e esclarecer sobre os boatos que podem gerar um possível pânico entre os baruerienses.

Apuração do Barueri na Rede

Quando o primeiro de coronavírus foi confirmado na cidade, em 15/3, o BnR divulgou uma reportagem divulgando o caso(veja). Após a publicação, começaram a surgir comentários de supostos episódios de coronavírus em Barueri, incluindo outros bairros além do Alphaville, onde há três pacientes confirmados.

Em um dos comentários, um leitor relata que houve três casos confirmados no Sameb. “Meu avô presenciou as pessoas saindo de ambulância e do isolamento do hospital”, contou o leitor. O Barueri na Rede entrou em contato com o munícipe, que disse não conhecer nenhum caso confirmado, mas que a situação foi presenciada pelo avô. “Dentro do próprio hospital as pessoas que trabalham no local disseram a ele que o caso estava confirmado”, respondeu o leitor ao BnR.

Já em outro comentário, o leitor afirma que os números são maiores, mas que a mídia esconde. “A mídia mente constantemente para a população, os números já são maiores. Já devem até ter mortes e não estão sendo divulgadas”, descreve. Questionado pelo BnR, o leitor respondeu que não tem a informação sobre casos. “A falta de credibilidade de alguns jornais faz com que os leitores fiquem na dúvida”, explica ele.

Até terça-feira, 17/3, o boletim de coronavírus na cidade contabilizou, além dos três casos confirmados, 47 casos suspeitos em isolamento e 17 casos descartados. É válido ressaltar que possíveis casos com sintomas do coronavírus já podem estar contabilizados nos casos suspeitos.

Nas redes sociais também circulou um relato em que dois funcionários teriam sido afastados da UBS Adauto Ribeiro Camargo, no Parque dos Camargos, por suspeita de coronavírus. “A marcação de consultas e exames está suspensa”, descreve uma moradora do bairro.

Ainda nesta terça-feira, também começou a circular nas redes sociais um áudio em que pacientes relatam que uma médica ginecologista teria sido socorrida em uma maca da UBS Dra. Elisabete Izilda Duleba, na Chácaras Marco, também com suspeita de coronavírus. “Disseram que ela foi levada às pressas porque estava passando mal. Além disso ela está grávida”, contaram leitores.

Sobre os rumores de que médicos da cidade estariam com covid-19, a prefeitura, por meio da Secretaria de Comunicação (Secom), informou que no caso da ginecologista do Chácaras Marco, ela realmente foi tratada como suspeita de coronavírus. “Quando há um caso suspeito, a unidade é obrigada a chamar uma ambulância, o paciente não pode ir por meios próprios para o HMB colher material para os exames, e toda a equipe precisa ser paramentada (vestida com trajes adequados). Esse fluxo é padronizado em toda a rede desde que foram estabelecidos os protocolos para investigação do novo coronavírus. Ela passa bem e está em casa aguardando os resultados dos exames”, relatou a Secom, em nota.

A administração municipal afirma ainda que a Coordenadoria de Atenção Básica à Saúde (CABS) está tomando medidas para reduzir ao máximo o fluxo dentro das UBSs. Com isso, a tendência é o adiamento de várias consultas e atendimentos menos urgentes, dentre outras providências para o esvaziamento das unidades.

Já em relação às suspeitas, funcionários da saúde com sintomas gripais semelhantes aos de coronavírus passam pelo mesmo protocolo de qualquer paciente nessa situação: são enviados pra colher material para exame e ficam em isolamento até que os resultados cheguem.

A equipe do Barueri na Rede está atenta para apuração de todas as informações sobre a covid-19, os casos suspeitos que estão sendo monitorados e os casos confirmados na cidade. Se qualquer leitor conhecer algum enfermo que não consta dos relatórios oficiais, basta informar o jornal, dando o nome ou endereço do paciente, para que o BnR possa fazer a investigação e noticiar. Além disso, o jornal está disponível para dúvidas e questionamentos sobre a pandemia que atinge o país.

- Publicidade -