Barueri terá ampliação de estação de tratamento de esgoto

763

Governo de São Paulo e Sabesp anunciaram R$ 2,5 bilhões para obras de saneamento no estado

O governador João Doria e a Sabesp anunciaram na segunda-feira, 2/12, a assinatura de contratos de financiamentos concedidos pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e pelo Banco Mundial para obras de ampliação nos serviços de coleta e tratamento de esgoto no estado, incluindo a estação de tratamento de Barueri. Os investimentos totalizam R$ 2,5 bilhões.

Os contratos são de US$ 550 milhões e preveem contrapartidas da Sabesp, que somam US$ 300 milhões, elevando para US$ 850 milhões os investimentos. O montante chega a R$ 2,568 bilhões em programas de infraestrutura e saneamento.

O financiamento do BID será usado para a quarta etapa do Projeto Tietê, programa de saneamento destinado à Região Metropolitana de São Paulo. As ações preveem a revitalização dos rios Pinheiros e Tietê. A expectativa é que até 2025, a Sabesp amplie a cobertura de coleta de esgoto e o tratamento na Grande São Paulo para 92%.

O montante de US$ 300 milhões do BID terá uma contrapartida de US$ 200 milhões da Sabesp para implantação de 156 km de interceptores e coletores-tronco e 204 km de redes coletoras, além da ampliação da capacidade das estações de tratamento de esgoto Parque Novo Mundo, São Miguel e Barueri.

O contrato de financiamento junto ao Banco Mundial para o Programa de Saneamento Sustentável e Inclusivo prevê investimentos na distribuição de água na Grande São Paulo, focando principalmente na ampliação do programa Água Legal da Sabesp, que tem o objetivo de regularizar ligações de água em regiões de alta vulnerabilidade social.

A Sabesp estima a execução de 152 mil ligações de água e 38 mil de esgoto nessas áreas, além da troca de 850 km de rede de água para a redução de perdas na Grande São Paulo. Também serão investidos recursos na coleta e tratamento de esgoto no entorno da represa do Guarapiranga. O financiamento de US$ 250 milhões do Banco Mundial terá contrapartida de US$ 100 milhões da Sabesp.

Além do Projeto Tietê, o montante ainda prevê a despoluição do rio Pinheiros com o programa Novo Rio Pinheiros, que deve ampliar a coleta e envio para tratamento do esgoto de 47 mil imóveis localizados nas sub-bacias dos córregos Corujas/Rebouças, Ponte Baixa/Socorro, Aterrado/Zavuvus e Pedreira/Olaria, e beneficiar uma população de 770 mil pessoas em todo o entorno. A meta é despoluir o rio Pinheiros até dezembro de 2022.

As obras estimam elevar em 21% o volume de esgoto tratado na região, passando dos atuais 960 litros por segundo para 1157 litros por segundo, reduzindo a carga orgânica que chega aos cursos d’água e alcança o Pinheiros.