Cartão Barueri deixa de ser obrigatório em órgãos municipais

9389

A partir de agora, o atendimento nos serviços municipais será feito com o número do CPF e dados simplificados do solicitante

A prefeitura de Barueri divulgou na sexta-feira, 24/2, medida que elimina a obrigatoriedade do Cartão Barueri para o atendimento nos serviços públicos do município. A partir de agora, será necessária apenas a apresentação do número do CPF e de dados simplificados para que o usuário seja atendido no órgão da administração municipal.

Os principais objetivos da nova diretriz são eliminar a burocracia e simplificar a vida do munícipe. Jonatas Randal, coordenador do Ciprodam (Centro de Tecnologia da Informação e Processamento de Dados) afirma que os servidores municipais já foram orientados quanto a implantação da medida. “Se o cidadão ainda não tiver um cadastro municipal, ele será atendido com um cadastro simples, provisório. Mais à frente ele poderá fazer o cadastro completo”, complementa Jonatas.

Controverso

Desde a sua implementação, em 2013, pelo ex-prefeito Gil Arantes, o Cartão Barueri foi objeto de muita controvérsia. Boa parte da população criticava a dificuldade para agendamento e a burocracia envolvida para sua solicitação. Outros acreditavam que, conforme prometido na sua criação, a prestação de serviços públicos, especialmente na área de saúde, iria melhorar com a exclusividade dada aos moradores de Barueri.

Agora, Rubens Furlan cumpre o que prometeu em entrevista ao jornal Folha de Alphaville, em outubro de 2015, um ano antes da eleição, quando sua candidatura ainda era uma incógnita. Na ocasião, o atual prefeito afirmou que “… vou fazer fogueira do Cartão Barueri, não serviu para nada, só em prejuízo para nossa cidade”. Mais tarde, depois de eleito, minimizou, dizendo que a resposta havia sido metafórica e que o cadastramento seria aproveitado, mas o cartão não seria mais necessário, como foi feito agora.