Barueri, a segunda cidade com mais casos de sarampo na região

234

Cidade chegou a 205 munícipes com a doença, ficando atrás apenas de Carapicuíba, com 224 casos  

Barueri é a segunda cidade da região com mais casos confirmados de sarampo. Os números foram divulgados pelo Centro de Vigilância Epidemiológica Estadual no último levantamento, feito na quarta-feira, 6/11.

A cidade registrou, até então, 188 casos da doença confirmados por meio de exame laboratorial e mais 17 com base no critério clínico-epidemiológico, em que o médico avalia o paciente em consultório. Com isso, Barueri totaliza 205 munícipes com sarampo.

Assim, o município está em segundo lugar na região. Em primeiro está Carapicuíba, com 224 casos confirmados. Em terceiro aparece Osasco, com 191 casos; seguido de Cotia, com 66; Itapevi, com 62; Jandira, com 44; Santana de Parnaíba, com 39; e Pirapora do Bom Jesus, com dois registros.

Confira, abaixo, os números do sarampo computados pelo Centro de Vigilância Epidemiológica Estadual de São Paulo, até dia 6/11:

Cidade Casos confirmados com exame laboratorial Casos confirmados por diagnóstico clínico Total de casos confirmados
Carapicuíba 151 73 224
Barueri 188 17 205
Osasco 171 20 191
Cotia 46 20 66
Itapevi 61 1 62
Jandira 41 3 44
Santana de Parnaíba 37 2 39
Pirapora do Bom Jesus 0 2 2

 

Histórico do sarampo

Até o dia 9/10, Barueri tinha 147 casos confirmados de sarampo – entre 141 laboratoriais e seis clínicos-epidemiológicos (saiba mais). O que representa um aumento de 58 diagnósticos se comparado com o boletim desta semana, com 205 casos.

Desde agosto, 14 pessoas morreram por complicações do sarampo. Nesta semana foi registrada a morte de uma menina de um ano e dez meses de Limeira, que estava dentro da faixa etária mais vulnerável à doença. Na penúltima semana de outubro outra morte foi confirmada, de uma mulher de 25 anos de Franco da Rocha, que não tinha histórico de vacinação e possuía condições de risco.

Na região, duas mortes ocorreram em Osasco, de uma bebê de quatro meses e de um rapaz de 25 anos. E ainda, de mais uma bebê de dez meses em Itapevi.

Os números dessa semana mostram que há no estado 8.516 casos confirmados laboratorialmente e outros 2.579 casos por diagnóstico clínico, totalizando 11.095 paulistas atingidos pelo sarampo. Destes, 56,2% estão concentrados na capital.

Vacinação

A vacina contra o sarampo continua para bebês entre seis meses a menores de 12 meses. Dentro desta idade, a criança recebe a ‘dose zero’ da tríplice viral (contra sarampo, rubéola e caxumba), porém, ela não tira a necessidade da imunização aos 12 e 15 meses, conforme o calendário nacional.

Entre os dias 7 e 25/10 foi realizada a primeira fase da campanha de vacinação contra o sarampo, que focou em crianças de seis meses a menores de cinco anos. Nela, 400 mil foram vacinadas no estado de São Paulo.

Neste mês, entra em vigor a segunda etapa, que terá como público-alvo jovens entre 20 e 29 anos. A campanha vai de 18 a 30/11, sendo que o Dia D está previsto para o dia 30/11. O grupo receberá uma dose da tríplice ou da dupla viral (sarampo e rubéola), conforme a indicação do profissional de saúde, por isso, é essencial a apresentação da carteirinha de vacinação.