Barueri, 68 anos: aniversário de incertezas

6199
- Publicidade -

Cidade se vê diante de desafios para manter-se em crescimento e recuperar a qualidade do serviço público

bareuricampos

 

Barueri chega ao seu 68º aniversário numa encruzilhada. Atingida pela crise nacional e por uma gestão que acumulou problemas, a cidade, que se coloca entre as 20 mais ricas do país em todos os rankings, enfrenta situações que eram impensáveis poucos anos atrás.

Em 2016, os semáforos das ruas ficaram um mês funcionando precariamente e o lixo deixou de ser recolhido por falta de pagamento. O Hospital Municipal, construído para ser referência e diferencial, entrou em crise permanente e seus gestores acumularam um rombo de R$ 45 milhões. O entulho parou de ser recolhido e o ano começou com montanhas de detritos em todos os bairros.

Durante sua campanha, o prefeito Rubens Furlan adiantou que os tempos eram outros, previu dificuldades e não escondeu que seria necessária uma grande demissão de funcionários para ajustar as contas do município, o que de fato aconteceu. Ainda assim, demonstrou otimismo em fazer um grande governo.

baruletrasOs três primeiros meses de gestão, no entanto, têm mostrado que as dificuldades são maiores do que o imaginado. A impressão é de que a cidade está parada. O próprio Furlan refez sua promessa de arrumar o sistema de saúde em dois meses. O novo prazo estipulado é de seis a oito meses.

Se a administração tem dificuldade para dar conta dos desafios que o município enfrenta, o cenário futuro preocupa. Nos últimos anos, a expansão do orçamento mal cobriu o índice de inflação, mas o crescimento da população não para. As estimativas indicam que em menos de dez anos Barueri atingirá os 300 mil habitantes. Isso significa o mesmo dinheiro, ou até menos, para atender a demandas de mais gente.

Nesse contexto, a cidade carece de um Plano Diretor atualizado. Nos últimos anos se multiplicaram os grandes condomínios de edifícios implantados sem qualquer previsão de impacto sobre a cidade. Não foram previstos equipamentos públicos para dar conta das novas demandas, como escolas, creches e unidades de saúde. A malha viária do seu entorno também não recebeu os aperfeiçoamentos necessários e o trânsito já dá sinais de saturação. Em pouco tempo, Barueri corre o risco de ter o tráfego estrangulado em vários pontos importantes.

barualphaOutro aspecto que preocupa é a violência urbana. Nos primeiros três meses do ano, ainda incompletos, o Barueri na Rede noticiou 11 homicídios (3,7 por mês). Apenas esses casos já significam uma alta expressiva com relação aos anos anteriores. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública, no ano inteiro de 2016 foram 22 homicídios (1,83 ao mês) , e em 2015, o total foi de 18 (1,5 ao mês). Ao mesmo tempo, quase que diariamente são registadas apreensões de drogas e prisão de traficantes pela Guarda Municipal e pela Polícia Militar.

O ponto central no entender da população, no entanto, é a saúde pública. Os problemas estão em praticamente todos os pontos. Há queixas contra a distribuição de medicamentos, extensos prazos para consultas e exames, filas para cirurgia e demora para atendimentos de urgência. Pesquisas mostram que a deterioração da saúde foi o principal causador do naufrágio do ex-prefeito Gil Arantes e Rubens Furlan sabe disso.

barupredinhosComo ponto positivo, está em fase de finalização o processo de contratação do novo gestor do Hospital Municipal. Será a organização social SPDM, vinculada à Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). A entidade é uma das mais importantes do país, com atuação em várias partes do território nacional, mas sobre ela pairam críticas e denúncias.

É nesse cenário que Barueri celebra seu 68º aniversário, em meio a incertezas sobre a capacidade de o município reverter uma trajetória de decadência. O orgulho do barueriense permanece em alta, mas as queixas já não são mais tão isoladas. As esperanças estão depositadas em recente declaração do prefeito Rubens Furlan. Segundo ele, a cidade não tem nada a comemorar neste aniversário, mas em 2018 as coisas estarão diferentes e será possível fazer uma grande festa.

- Publicidade -