Temporal provoca alagamentos e paralisa a cidade

537

Chuva forte que caiu na tarde de sexta-feira alagou bairros em todas as regiões de Barueri

No Jardim São Pedro, a água cobriu as avenidas 26 de Março e Henriqueta Mendes Guerra

O temporal que caiu sobre a Grande São Paulo na tarde de sexta-feira, 25/1, alagou bairros de Barueri em todas as regiões da cidade, causou danos em casas e empresas, interrompeu o fornecimento de energia, danificou veículos e afetou até o trânsito e a circulação de trens. Fotos e vídeos invadiram as redes sociais mostrando os estragos. Há desabrigados, mas não houve nenhum registro de morte.

Os bairros mais atingidos foram Jardim Silveira, São Pedro, Maria Helena e Jardim Paulista. No Silveira, a água cobriu tudo, do terminal de ônibus até a avenida Alziro Soares, na divisa com Jandira. Nos pontos onde a inundação era mais profunda, carros foram arrastado pela água. O trânsito ficou interrompido e até a circulação de ônibus foi prejudicada.

Alagamento tomou os trilhos da CPTM e o terminal de ônibus do Jardim Silveira

Na região central, outra área atingida foram as avenidas 26 de Março e Henriqueta Mendes Guerra, na altura do São Pedro. As vias ficaram interrompidas, causando grande caos no centro e obrigando os motoristas a encontrar rotas alternativas para se deslocar.

O rio Cotia transbordou mais uma vez alagando a área próxima das duas margens tanto no Jardim Maria Helena, do lado de Barueri, quanto na Vila Lourdes, em Carapicuíba. No trevo de entrada do bairro, os carros eram obrigados a subir na grama para poder contornar as áreas inundadas.

Perto dali, a avenida Vitorio Fornazzaro ficou submersa nas proximidades da rodovia Marechal Rondon, no ponto conhecido como Frutaria, onde também houve casos de veículos submersos. Nesse ponto, trabalhadores da prefeitura de Carapicuíba trabalharam durante toda a semana na limpeza do rio. 

No Maria Helena, carros tiveram que subir na grama do trevo de entrada do bairro para fugir da inundação

Outro ponto atingido foi a avenida Aníbal Correia, entre o Parque Viana e o Jardim Paulista. A região sofreu também com a queda de energia, que durou mais de duas horas. No Parque dos Camargos, o alagamento ocorreu na rua Célia e vizinhanças.

Na alameda Araguaia, entre Alphaville e Tamboré, a inundação provocou forte correnteza nas imediações do Shopping Tamboré.

Entrada do Ganha Tempo, no centro, foi inundada

A CPTM também foi atingida. Os trilhos na altura da estação Jardim Silveira, ao lado do terminal de ônibus, ficaram sob a água. No trecho entre Carapicuíba e Itapevi da linha 8-Diamante, os trens tiveram que circular em velocidade reduzida da tarde até a noite. Durante cerca de 40 minutos, a partir das 17h40, a circulação chegou a ser interrompida entre Jandira e Barueri.

Carapicuíba e Jandira

Em Carapicuíba a região mais atingida foi o Ariston. Uma larga área do bairro, a partir da avenida Dante Carraro, foi alagada. O muro do supermercado Giga voltou a cair, como já tinha ocorrido em fevereiro de 2018.

Na marginal do córrego Cadaval, policiais militares resgataram um homem de 64 anos que estava sendo arrastado pela água dentro de seu carro. Ele dirigia o veículo com a mulher, a nora e a neta e, segundo seu relato, ao perceber a água subindo, tirou a família do automóvel e tentou entrar no estacionamento do Supermercado Giga para se proteger, mas não houve tempo.

Em Jandira, a área do terminal rodoviário ficou submersa, impedindo a circulação de ônibus e interrompendo a ligação com Barueri pelo Jardim Silveira.

 

Uma vasta área ficou submersa nas proximidades da Farmácia Popular, no São Pedro