Suspeito de pedofilia é preso na Praça dos Estudantes

6270

Polícia Civil chegou até o homem com a denúncia da família de um menino, que era abusado por ele por meio das redes sociais

Um homem, de 24 anos, foi preso por suspeita de pedofilia na Praça dos Estudantes, em frente à unidade da Fatec, no Centro de Barueri. A prisão ocorreu na tarde de segunda-feira, 15/7, e foi possível após a denúncia da família de um menino, de 13 anos, que era alvo do rapaz por meio das redes sociais.

Policiais disfarçados foram no encontro marcado com o adolescente na Praça dos Estudantes, onde prenderam o suspeito de pedofilia/ Fotos: Reprodução Rede Globo

Segundo a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, os policiais do 15º DP, do Itaim Bibi, na capital, foram procurados pelos pais do adolescente, que relatou que estava sendo seduzido por um homem, que entrou em contato com ele pelo Instagram, depois dele ter deixado o perfil como público. Em relato dos familiares do jovem à polícia, o suspeito enviava fotos pornográficas e estimulava conversas de conteúdo sexual com o menino.

De acordo com reportagem do SPTV1, da Rede Globo, a denúncia foi feita na sexta-feira passada, 12/7, e, durante o fim de semana, os agentes monitoraram as redes sociais do jovem, foi quando o homem marcou um encontro na praça de Barueri. Policiais disfarçados foram até o local marcado e prenderam em flagrante Drielson Sousa Silva, que confessou o conteúdo das conversas, a intenção de cometer atos libidinosos e afirmou que tem transtornos, mas, não estava se tratando porquê sua psicóloga estava de férias.

Depois da prisão, os agentes acompanharam o suspeito até a casa dele, onde foram apreendidos um notebook, dois pen drives, um chip para smartphone, um HD e um aparelho celular. Em análise do material, foi comprovada a tentativa de aliciamento do adolescente, assim como arquivos pornográficos envolvendo outros menores de idade, sendo um de Barueri e outro de Poa.

O homem foi preso e conduzido à delegacia do Itaim Bibi, que investiga o caso. Drielson já tinha outras duas passagens pela polícia por pedofilia, nos últimos dois anos, e estava respondendo em liberdade.