Sindicância investiga ameaça de morte dentro da GCM

5599

Guarda feminina acusa superior de ter sido ameaçada por rejeitar investidas amorosas

A Secretaria de Segurança e Mobilidade Urbana de Barueri (SSMU) abriu no começo do mês uma sindicância para apurar a denúncia de ameaça de morte que uma Guarda Civil feminina teria sofrido de um colega que ocupa um alto cargo na corporação. Segundo apurou o Barueri na Rede, a ameaça foi feita no final de dezembro e a queixa foi apresentada à Polícia Civil em março deste ano, quando foi registrado um Boletim de Ocorrência.

De acordo com a denúncia, o funcionário graduado da secretaria vinha fazendo ameaças por meio do aplicativo Whatsapp, até culminar com a intimidação presencial nas proximidades do Natal. Naquela ocasião, a agente estava em serviço e ele teria se dirigido até sua viatura e dito que lhe daria um tiro no rosto.

Apesar de ainda estar sendo mantido em sigilo, o caso é discutido abertamente na GCM. Agentes ouvidos pelo BnR, que mantêm relacionamento pessoal tanto com a guarda quanto com o superior, afirmam que a motivação do constrangimento teriam sido negativas da agente diante de investidas amorosas que sofria do acusado. Esses fatos, dizem os GCMs, seriam de conhecimento generalizado na corporação, inclusive entre parte do comando.

A secretária de Segurança, Regina Mesquita, determinou que a Corregedoria da pasta conduza a sindicância, mas a defesa da guarda entende que o caso deve ser apurado pela Procuradoria do Município. O motivo é que o denunciado exerce cargo de chefia na corporação e não pode ser investigado por alguém que tenha função de mesmo nível, no caso o corregedor da SSMU, Marcelo Gomes da Silva.

O Barueri na Rede procurou a prefeitura para esclarecer pontos da denúncia e da investigação, mas não obteve resposta.