Sabesp promete, mas água não volta aos Camargos

285

Sabesp alega manutenção. Moradores ainda enfrentam falta de água, que foi cortada quinta-feira. Distribuição por caminhões não é suficiente

faltaagua
Parte alta do bairro, como a região da Estrada Velha de Itapevi e da rua Elizabete, é a que mais sofre/Foto: Google Maaps

Grande parte dos moradores do Parque dos Camargos está há mais de cinco dias sem uma gota de água nas torneiras de casa. Desde a noite de quinta-feira, 4/8, o abastecimento foi suspenso sem qualquer aviso. Moradores da rua Vera foram os primeiros a notar o corte. A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), alega que a rede do bairro está passando por manutenção, mas a própria empresa dá versões desencontradas.

Os moradores acumulam protocolos das queixas que fizera durante esses dias. Até a Ouvidoria da empresa foi acionada, mas mesmo no setor, que é o responsável por ouvir o consumidor e defendê-lo dentro da empresa, as respostas foram evasivas. “Liguei na Ouvidoria num dia e me disseram que era obra de manutenção. Mas no outro dia falaram que era problema de pressão, que a região é muito alta e eles não estão conseguindo fazer a água chegar até aqui”, conta uma moradora da rua Elizabeth. “Aqui, nós sempre tivermos problemas de fornecimento, a única coisa que não deixa de chegar sem falhar é a conta”, conclui ela.

falta dagua4
Alguns moradores estão tendo que comprar galões de água para tarefas de casa, como lavar louças

Algumas donas de casa estão usando água mineral para lavar louças, por exemplo. Mas mesmo quem pode lançar mão desse recurso caro, não escapa de ter roupas para lavar se acumulando ou de ter que tomar banho na casa de amigos e parentes. O comércio local também tem sofrido com a escassez. 

Somente na tarde desta terça-feira, 9/8, caminhões-pipa começaram a circular pelas ruas do bairro para abastecer as residências.

Mas, uma moradora da rua Vera, no Parque dos Camargos, informou que só um caminhão-pipa abasteceu as residências, e de apenas um um lado da rua. “Não deu para atender todas as casas, inclusive a minha. É muita gente sem água desde sexta de tarde.”, lamentou.

Uma moradora da rua Vera, que está entre as primeiras do bairro a ter o corte no abastecimento, contou que, apesar de dois caminhões-pipa terem distribuído água nas casas, não foi o suficiente. “Hoje com muito sacrifício de todos moradores da rua, vieram até aqui. Mas não resolveu o problema”, contou. Ainda segundo a moradora, a cada contato com a Sabesp é informado um prazo diferente para a normalização do serviço. “Pra mim a Sabesp deu previsão para amanhã à noite, mas os vizinhos ligaram e eles disseram que só só na sexta-feira. É um descaso”, desabafou.

A Sabesp informou que o serviço seria restabelecido na noite desta terça-feira, mas até o momento dessa reportagem, às 23 horas desta terça, as torneiras continuavam secas. 

[sam_ad id=”18″ codes=”true”]