Homem é preso na Linha 8-Diamante por importunação sexual

5461

Homem foi preso, baseado na nova lei, por ter passado as mãos nas pernas de uma passageira da CPTM

Um homem foi preso por importunação sexual na última quarta-feira, 26/9, na estação Sagrado Coração da Linha 8-Diamante da CPTM, em Jandira. É o primeiro caso registrado após sanção do presidente da República em exercício, o ministro Dias Toffoli, na segunda-feira, 24/9.

Por volta das 9h15, a vítima, de 25 anos, e o gráfico Maurício Ribeiro, de 56 anos, desceram na plataforma da estação Sagrado Coração. A mulher contou a um vigilante da CPTM que Ribeiro se sentou ao seu lado no trem e fingiu dormir com uma maleta no colo. Ele então teria acariciado e apertado a coxa da vítima.

O funcionário da CPTM abordou o suspeito e o levou, juntamente com a vítima, à delegacia de Jandira, onde o caso foi registrado como importunação sexual. Na ficha de Maurício constam dois registros, de 2016 e 2017, por importunação ofensiva ao pudor no interior de trens da CPTM. Ele prestou depoimento na delegacia onde foi preso e encaminhado para audiência de custódia na última quinta-feira, 27/9.

Com a nova lei, práticas de atos libidinosos na presença de alguém, sem autorização, para satisfazer desejos próprios ou de terceiros enquadra-se como crime de importunação, com pena de um a cinco anos de cadeia.

Antes da nova lei, essas ações eram geralmente enquadradas na lei de contravenções penais, que exigia apenas pagamento de multa. O texto legal ainda torna crime a divulgação de vídeos e fotos de cena de sexo ou nudez ou pornografia sem consentimento da vítima, além de divulgação de cenas de estupro.

Também é aumentada a pena em até dois terços se o crime é cometido por pessoa que mantém ou tenha mantido relação íntima com a vítima, evitando casos conhecidos como pornografia de vingança.