Ambulantes planejaram ataque a seguranças da CPTM

1803

Áudios mostram que vendedores armaram emboscada. Quatro vigias ficaram feridos e quatro homens foram presos

O ataque de vendedores ambulantes a seguranças da CPTM na estação Santa Terezinha, da linha 8-Diamante, foi planejado (leia sobre o caso). Áudios revelam que vendedores armaram emboscada aos agentes da companhia pelas redes sociais. A reportagem é do Bom dia SP da TV Globo.

De acordo com a Polícia Civil, o ataque foi combinado por mensagens do aplicativo WhatsApp antes da tarde de quinta-feira, 21/2. Em um áudio, um ambulante marca a emboscada para meio-dia e diz para “pegar e arrebentar com vontade” não só um, mas vários seguranças, pois só assim “eles vão parar” – em uma menção às operações de combate ao comércio nos trens.

Em outro áudio divulgado, um homem ainda não identificado diz que só quer trabalhar e ganhar o pão de cada dia, mas que vai parar um dia “só pra quebrar guarda”.

Absurdo !Grupo de ambulantes agride de forma covarde, um vigilante sozinho na via. Ele está em horário de almoço e foi cercado pelo grupo.Caso ocorreu na tarde desta quinta, na estação Santa Terezinha da Linha 8-Diamante da CPTM.🎥 Reprodução Redes Sociais

Posted by Diário da CPTM on Thursday, February 21, 2019

Vídeos que circulam pelas redes sociais mostram o momento do ataque, que começou ainda dentro de um dos vagões, após operação que apreendeu mercadorias, e foi parar no meio dos trilhos. Ambulantes partem para cima dos guardas com paus e pedras, além de agredir os agentes com socos e chutes. Na plataforma, pessoas pedem calma.

Após minutos, as agressões acabam e os ambulantes se espalham. Alguns entram novamente no trem. Quatro, dos cerca de 30 homens, foram presos na estação de Carapicuíba quando desembarcavam. Eles foram encaminhados ao 1º DP e responderão por tentativa de homicídio. Com as imagens gravadas, a polícia tenta identificar os demais envolvidos na ação. Quatro seguranças ficaram feridos.

Ações com a Polícia Militar

À reportagem do Bom dia SP, o Secretário Estadual dos Transportes, Alexandre Baldy, disse que a ação dos seguranças da CPTM é “para combater os ambulantes ilegais, respeitando a lei” e que por isso, está alinhando uma parceria com a Polícia Militar.

Segundo ele, esse alinhamento buscará uma atividade delegada a agentes e policiais militares para ajudar a “coibir e acabar com os comerciantes ilegais” nessas estações.

O que diz a CPTM

O Barueri na Rede procurou a CPTM que, em nota, informou que os “vigilantes feridos haviam atuado na Estação Osasco, onde apreenderam mercadorias de um vendedor irregular” na manhã de quinta-feira. Em represália, um grupo com cerca de 30 ambulantes atacou os seguranças “com paus e pedras” por volta das 12h45 na estação de Santa Terezinha.

A nota diz que a companhia vem “intensificando o combate ao comércio ilegal dentro dos trens, uma vez que além de atrapalhar a viagem dos passageiros, os ambulantes incomodam as pessoas com a gritaria”.

A CPTM também afirma que, em 2018, a maior queixa dos passageiros no SMS Denúncia foi contra ambulantes, conforme antecipou reportagem do BnR (relembre). “Além do transtorno durante as viagens, em alguns casos, os ambulantes também vandalizam estações e composições, causando prejuízos para quem precisa do transporte público”, informa a nota.

A CPTM ainda conclui que “continuará combatendo o comércio ilegal no sistema e não aceitará intimidações” e que o principal objetivo “é proporcionar viagens seguras e promover a paz entre os passageiros”.

Comércio ilegal
Mensagens gravadas solicitando que passageiros não comprem mercadorias do comércio ilegal são repetidas constantemente durante as viagens. E a empresa tem fechado o cerco aos vendedores para aumentar o volume de apreensões.
No início de janeiro, um homem foi atropelado por um trem próximo à mesma estação Santa Terezinha ao fugir de seguranças que tentavam apreender sua mercadoria (leia mais).