Plano de carreira da GCM abre crise na câmara

3392

segredos-vermelhobold

 

Plano de carreira da GCM abre crise na câmara

A notícia caiu como uma bomba na Câmara de Barueri: o prefeito Rubens Furlan avisou que vai vetar o plano de carreira da Guarda Municipal que ele próprio enviou aos vereadores e foi aprovado na sessão de terça-feira da semana passada, 3/4. O motivo seria o aumento da folha da corporação em R$ 30 milhões por ano. O valor teria passado despercebido tanto pelos autores (técnicos da prefeitura que elaboraram a proposta) quanto pelos vereadores.

Confirmado o veto do prefeito, o projeto tem de voltar para a câmara e caberá ao Legislativo sepultá-lo de vez. “Corremos o risco de ficar como os vilões da história”, diz um vereador no anonimato. Outro legislador lembra que a tramitação foi feita às pressas para atender ao prefeito, e que nem houve tempo de ler a proposta.

De fato, o projeto, enviado ao Legislativo pelo prefeito, foi votado na mesma sessão em que foi apresentado, sem o prazo de praxe para que os vereadores pudessem analisá-lo. Chico Vilela chegou a pedir que a decisão ficasse para a semana seguinte, mas foi derrotado.

Na votação, acompanhada pela secretária de Segurança Regina Silva e por cerca de 40 guardas, não houve debate, apenas discursos de elogio à corporação. Todos os 17 vereadores presentes votaram a favor, apesar de alguns mostrarem desconforto.

O novo plano estabelece novas faixas salariais, cria novos departamentos e postos e redefine vencimentos de ocupantes de cargos de confiança. Também determina adicionais para a Romu. Apesar de críticas pontuais, foi bem recebido na corporação porque melhora os salários de grande parte da GCM.

No momento, a questão está na mão do prefeito Rubens Furlan. Ele poderá aprovar o plano na íntegra ou com ressalvas, no prazo de 15 dias úteis. Também pode não se manifestar, o que fará com que entre em vigor automaticamente. Ou ainda, segundo recado enviado aos vereadores, vetar integralmente. Nesse caso, caberia à câmara aceitar ou derrubar o veto.

Podemos e Álvaro Dias em Barueri

O Podemos realizou na noite de segunda-feira, 9/4, seu encontro regional nas dependências da Câmara de Barueri. Cerca de 500 pessoas compareceram para receber o presidenciável do partido, senador Álvaro Dias. Também participaram a deputada federal Renata Abreu, o prefeito de Osasco, Rogério Lins, entre outros nomes da legenda. A cerimônia serviu para tornar pública a pré-candidatura a deputado estadual de Josué Pereira da Silva, o ex-vereador Jô, que foi o anfitrião da noite.

Dança das candidaturas

Além de Jô, são nomes certos de baruerienses na urna eletrônica em outubro Bruna Furlan, para federal, e Gil Lancaster, para estadual, ambos atualmente detentores de mandato. Os vereadores Robertinho e Rafa Gente da Gente, além de Júlio Leal, liderança política da cidade, também garantem que vão disputar uma vaga na Assembleia. O ex-vereador Saulo Góes vai para federal. O presidente da câmara, Carlinhos do Açougue, ainda não se decidiu, e o ex-vereador Celso Calegari mantém a intenção de disputar. O PT estuda se lança o nome do advogado Baltasar Rosa.

Proteção a moradores de rua

A câmara aprovou na sessão de terça, 10/4, a cria o programa Re Nascer, de proteção e reinserção social aos moradores de rua. O programa pretende estimular a pessoa em situação de rua a desenvolver alguma atividade produtiva e a participar de oficinas laborais. Poderão ingressar maiores de 18 anos que não tenha limitações físicas ou mentais para desenvolver as atividades. Os participantes terão direito a bolsa auxílio de meio salário mínimo durante um ano, prorrogável por mais, desde que cumpram as regras do Re Nascer.