Pedreiro é morto por genro no Jardim Maria Helena

13962

Jovem matou sogro a facadas e despejou um saco de cimento sobre ele. Motivo do crime seriam desavenças familiares

O pedreiro Roberto Santos de Jesus, de 41 anos, foi assassinado na manhã desta quinta-feira, 9/3, a golpes de faca, por seu genro, José Vinicius da Silva, de 22 anos, numa obra na rua Florianópolis, no Jardim Maria Helena. O crime aconteceu por volta de 8 horas, e José Vinicius foi preso pela polícia no início da tarde na casa de seus pais, no Vale do Sol.

matador
Vinicius foi preso horas após o crime

Roberto trabalhava na ampliação de um sobrado no Maria Helena. No início da semana, como seu ajudante deixou o trabalho, convidou Vinicius para substituí-lo. Na manhã da quinta-feira, moradores da casa onde era realizada a obra ouviram uma discussão seguida de sinais de luta e, por fim, de gritos do pedreiro pedindo socorro.

A GCM foi chamada e em seguida o ajudante foi visto deixando o prédio tranquilamente. Uma dupla de agentes que fazia ronda nas proximidades chegou rapidamente ao local mas já encontrou Roberto morto. Segundo os guardas, Roberto recebeu vários ferimentos no rosto, pescoço e tórax, mas não foi possível concluir quantos ferimentos ele sofreu porque, depois das facadas, o agressor despejou um saco de cimento sobre a vítima.

Roberto e Vinicius viviam no mesmo núcleo familiar no Vale do Sol. Genro e sogro já haviam discutido por causa da forma como o jovem tratava a esposa, com ofensas e ameaças. O pedreiro também se queixava de que o rapaz não gostava de trabalhar e era sua filha quem mantinha o casal.

Ao mesmo tempo, Vinicius reclamava o pagamento do que ele entendia ser uma dívida do sogro. Quando o casal foi morar com Roberto, o genro comprou materiais de construção para reformar uma parte da casa. Depois, os jovens deixaram o local e Vinicius passou a cobrar que Roberto lhe pagasse o valor dos materiais adquiridos. Para familiares, este teria sido o motivo da briga que resultou na morte do pedreiro.

Preso pela Polícia Civil, Vinicius foi levado ao Distrito Policial do Jardim Silveira, responsável pelo caso. Lá, ele inicialmente negou o crime mas, aconselhado por agentes da segurança, acabou admitindo ter matado Roberto. Ele declarou que era muito xingado pelo sogro.

Roberto deixa cinco filhos, sendo o caçula, um bebê de cinco meses de idade.