MP ocupa câmara de Osasco atrás de fantasmas

164

Operação com 29 promotores e mais de 200 PMs que investiga existência de funcionários fantasmas vasculha gabinetes de dez vereadores

 

osasco1
MP recolheu documentos em gabinetes de vereadores e assessores e prendeu seis pessoas/Fotos: MP

O Ministério Público ocupou a câmara de Osasco nesta sexta-feira (10/6) em mais um estágio da operação Caça-Fantasmas, que investiga denúncias de existência de funcionários fantasmas no Legislativo da cidade. Seis pessoas foram presas e foram cumpridos 28 mandados de busca e apreensão, dez deles em gabinetes de vereadores osasquenses e de seus assessores.

Participaram da ação 29 promotores e mais de 200 policiais militares. Foram apreendidos documentos nas seções e nos gabinetes dos vereadores e cartões de ponto e livros de frequência de servidores. Além da câmara, promotores e policiais estiveram em outros prédios públicos e sedes de partidos políticos e de sindicatos.

Mais de 150 pessoas estão sendo investigadas como parte de uma grande organização criminosa voltada a desvio de recursos públicos. Até agora, quatro pessoas fizeram acordo de delação premiada e devolveram cerca de R$ 200 mil. O MP encontrou funcionários da câmara e da prefeitura trabalhando em empresas privadas no horário em que deveriam estar no serviço público.

Num dos prédios visitados pela operação havia um depósito de medicamentos sem comprovação de compra nem nenhuma documentação. Os promotores acreditam que sejam remédios destinados ao Sistema Único de Saúde (SUS) e que foram desviados para outros fins. A quantida foi suficiente para encher três camihões. Cinco pessoas foram presas no local.

[sam_ad id=”7″ codes=”true”]