Motoristas de ambulâncias reclamam de jornada de trabalho excessiva

1299

Além do enorme cansaço dos profissionais, o problema também colocaria em risco a vida dos pacientes que são transportados todos os dias aos Prontos Socorros

“Trabalho análogo ao escravo na Prefeitura Municipal de Barueri”, foi essa a primeira frase enviada ao Barueri na Rede. Nas últimas semanas diversas denúncias de motoristas de ambulâncias da rede pública de saúde relataram irregularidades a jornada de trabalho desses profissionais no município.

Segundo as fontes que procuraram o BnR, o regime de trabalho, que deveria seguir uma escala de 12h/36h, não está sendo cumprido e os motoristas estão trabalhando desde o ano passado praticamente todos os dias e sem folga.

Em um dos relatos, o motorista, que não quis se identificar, contou ao BnR que os condutores estão folgando no máximo duas vezes ao mês. “Desde setembro, estamos trabalhando todos os dias, quase sem folga, ou seja, estamos trabalhando 12 horas ou mais todos os dias, e com no máximo, dois dias de descanso no mês”, desabafou o motorista.

Vale lembrar que na jornada 12×36, como o próprio nome diz, o trabalhador realiza jornada de trabalho de 12 horas e folga nas 36 horas seguintes, em uma espécie de compensação de jornada. Se na segunda-feira ele trabalhou das 10 às 22 horas, seu próximo dia de trabalho seria na quarta-feira, também das 10 às 22 horas.

Ainda segundo informações, o sistema de saúde conta com cerca de 20 ambulâncias, que fazem revezamento com os veículos do tipo Fiat Doblò, que transportam pacientes para hemodiálise. “Trabalhamos no dia comum da nossa carga horária nas ambulâncias, por 12 horas ou mais e no dia seguinte, que seria folga, dirigimos as Doblòs com pacientes para hemodiálise. Já aconteceram alguns acidentes leves, devido a exaustão dos motoristas”, o funcionário terminou o desabafo ao BnR.

Procurada pela equipe do BnR, por meio da Secretaria de Comunicação (Secom), a prefeitura disse que iria averiguar o caso e passar para os responsáveis, e que ainda não concluiu a apuração da denúncia.