Louise, aluna da Fieb/ITB, ganha bolsa de estudos em escola da Suíça

4135

Jovem de 16 anos foi aceita para concluir o ensino médio com bolsa de estudos na Le Régent Crans-Montana College da Suíça 

Por Thiago Correia

kkkkkkkk
Após experiência na Suazilândia, Louise Ferreira Silva, de 16 anos, agora estudará por dois anos em escola da Suiça/Foto: Arquivo pessoal 

Em novembro do ano passado, o Barueri na Rede contou a história da jovem Louise, aluna da Fieb/ITB do Jardim Belval que foi selecionada para participar do programa Together for Development da United World College (UWC) na Suazilândia (relembre aqui). Após conseguir realizar o curso de verão no país africano, Louise revela mais uma conquista. Ela foi aceita para concluir o ensino médio com bolsa de estudos na Le Régent Crans-Montana College da Suíça.

Ela contou ao BnR que não conseguiu o valor total da “vaquinha” online que fez para arrecadar o dinheiro da passagem para Suazilândia. Dos R$ 10 mil que pretendia, a jovem conseguiu R$ 6 mil, o que ajudou bastante para a realização de seu sonho. E tudo começou após essa experiência de Louise no curso de verão. “A UWC me proporcionou uma experiência incrível. No começo eu estava muito empolgada para conhecer pessoas de várias partes do mundo, mas passando os dias no curso, vi que a melhor parte era o respeito e o carinho que todos tinham uns com os outros”, lembra. “Além disso, lá conheci muitas pessoas que completaram o ensino médio em uma escola de Bacharelado Internacional (IB) e que conseguiram bolsa de estudos completas em universidades”, explica Louise.

Foi a partir disso que o desejo de estudar fora do país foi novamente intensificado. “Após o curso de verão, decidi ir atrás de escolas que lecionam o Bacharelado Internacional, já na intenção de estudar futuramente em Harvard ou Cambridge”. Louise pesquisou inúmeras escolas, foi recusada em quatro até ser aceita Le Régent Crans-Montana College“Dessa vez foi mais difícil, eu enviei meu boletim, três cartas de recomendação, carta de motivação do porquê eu mereço ser aceita. Passei dessa fase e fiz uma entrevista por Skype, e felizmente gostaram de mim”, afirma.

Carta de aceitação
Louise foi aceita com bolsa de 100% na Le Régent Crans-Montana College, Escola Internacional Britânica Independente, que possui anualidade mais alta que Harvard/Foto: Arquivo pessoal

Na última etapa, Louise fez dois testes de inglês e um de matemática, este último aplicado por uma professora “maravilhosa” do ITB, como descreve a jovem. “Após uma semana, recebi a notícia de que fui aceita com bolsa de estudos 100%, quase R$ 800 mil só de bolsa de estudos para os dois anos”, celebra. “Recebi a resposta por e-mail, e na hora chorei, pois faz dois anos que tenho o sonho de estudar fora, e agora estarei realizando-o em uma escola que possui a anualidade mais alta que a de Harvard”, conta eufórica.

Sobre a reação de seus pais, ela revela: “Quando contei para os meus pais eles ficaram sem reação, mas agora estão superfelizes, pois sempre fizeram o possível para que eu tivesse uma educação de qualidade, dentro dos nossos limites. E agora essa oportunidade vai abrir inúmeras portas para mim”. Louise afirma que sua família a apoia 100% e que não está muito preocupada, já que ela irá para um dos países mais seguros do mundo e ficará sob os cuidados da escola.

Voltada para alunos de quatro a 18 anos de idade, a Le Régent Crans Montana College é uma Escola Internacional Britânica Independente, localizada em Crans-Montana na Suíça, que trabalha com o chamado “day and boarding”, para alunos que apenas vão para escola e voltam pra casa, e internato. Louise se inscreveu na opção de internato, já que além de estudar, pode morar na escola. “Moradia, alimentação, estudos e materiais estão inclusos na minha bolsa de estudos. Ficarei me sentindo como na novela mexicana Rebelde”, brinca.

Recanto Maravilha III, em Santana de Parnaíba, e estuda na unidade do Jardim Belval da Fieb/ITB Louise Ferreira Silva
Jovem mora no Recanto Maravilha III, em Santana de Parnaíba, e vem de escolas públicas de Carapicuíba/Foto: Arquivo pessoal

Louise fala que a experiência que a espera será importante para o seu futuro: “Como quero ser diplomata, isso já vai me preparar para a minha futura carreira. Mas quero desenvolver a fluência no inglês, aprender francês, a cidade que vou ficar, fala francês, aprender a lidar com as minhas emoções, amadurecer e estar preparada para o mundo real”, acredita. “Agora não tem mais papai e mamãe pra passar a mãozinha na minha cabeça. Além disso, espero fazer amigos de culturas diferentes e aprender uns com os outros, como foi a minha primeira experiência internacional”, completa.

“Nunca estudei em nenhuma escola particular. Portanto, é quase impossível pensar que um aluno de escola estadual poderia ganhar uma bolsa de estudos tão generosa quanto essa, pelo fato da qualidade do ensino ser relativamente inferior a de outras”, fala. Louise deixa um recado para quem sonha em estudar fora do país: “Se o seu sonho é estudar fora com bolsa de estudos e você está disposto a correr atrás disso, você consegue! Eu consegui uma bolsa vindo de escolas públicas de Carapicuíba, por que você não consegue? Se prepare!”, incentiva. “Não desanima se vier o primeiro não, já recebi mais de dez, em relação a oportunidades para estudar fora, mas isso me ajudou a melhorar as próximas candidaturas”, conclui a jovem.

Apesar de estar no 3º do ensino médio na Fieb/ITB, na Le Régent, Louise cursará o equivalente ao 2° e 3° ano do ensino médio, já que para obter o diploma de Bacharelado Internacional, ela precisa realizar os dois anos. Dessa forma, a adolescente começa os estudos em setembro e termina no fim de junho de 2020. “Caso eu queira voltar para o Brasil e cursar uma universidade, é possível fazer a revalidação do diploma, basta eu levar o meu histórico escolar daqui e o diploma de lá”, explica.