Justiça suspende final do futsal marcada para este sábado

2351
- Publicidade -

Juíza acatou pedido do Meninos da Vila, que alega ter sido eliminado por foguete soltado pela torcida do Aliança

alian1
Aliança x Meninos: sinalizador no fim do jogo causou a confusão/Foto: Campeonato Amador de Barueri

A Justiça determinou na tarde desta sexta-feira, 17/8, a suspensão da partida final do Campeonato Municipal de Futsal que seria disputada no sábado, 18/8, entre Aliança e Ponte Preta. A juíza da Fazenda Pública de Barueri, Graciella Lorenzo Salzman, acolheu pedido do Meninos da Vila em caráter liminar (provisório). A equipe alegou irregularidades na decisão que a eliminou em razão de fatos ocorridos na semifinal jogada contra o Aliança, no sábado passado.

Meninos da Vila, do Belval, e Aliança, do Engenho Novo, disputaram uma das semifinais do campeonato. O primeiro jogo foi vencido pelo Meninos por 2 a 1. A segunda partida foi encerrada a dois segundos do final, quando um fogo de artifício foi disparado na arquibancada. Naquele momento, o Aliança vencia por 2 a 0, placar que o classificava para a decisão.

Em sua petição à Justiça, o Meninos alega que um julgamento realizado durante a semana pela Secretaria de Esportes do município, que organiza a competição, decidiu eliminá-lo alegando que partiu de sua torcida um foguete antes do início do jogo. O Meninos nega, e diz que foram torcedores do Aliança que dispararam o artifício no final da partida. Afirma também que não teve o direito de defender-se. Em razão disso, a magistrada decidiu proibir a realização da decisão até que o caso seja resolvido e deu dez dias para a secretaria dar explicações.

O secretário de Esportes, Tom Moises, afirma que só foi notificado no fim da tarde de sexta-feira e que não houve tempo hábil para tentar derrubar a liminar, mas afirma que isso será feito já na segunda. Por enquanto, segundo ele, cabe apenas acolher a decisão judicial. “Haverá um prejuízo público, pois toda estrutura está pronta, foram mobilizados muitos profissionais da organização, arbitragem, convidados, ambulância, profissionais da saúde, guardas municipais, segurança e trânsito”, afirma Tom. “Os times finalistas organizaram uma bela festa com suas torcidas e estava tudo pronto. Agora, o Jurídico da prefeitura fará o seu trabalho.”

A decisão pegou os finalistas de surpresa e foi uma ducha de água fria. A direção da Ponte lamenta a decisão e considera uma vergonha levar uma decisão esportiva para a Justiça. Do lado do Aliança, os dirigentes afirmam que estão tranquilos quanto ao desfecho do caso. “A Secretaria de Esportes e o Jurídico da prefeitura já foram informados e resolverão isso da melhor forma possível”, afirma Antônio Carlos, diretor do clube. “Tudo o que aconteceu (o julgamento) está previsto no regulamento e logo sairá a data da final e estaremos lá contra a Ponte Preta.”

 

- Publicidade -