Justiça decide afastar pai do prefeito de Carapicuíba do cargo de secretário

1832

Juíza acatou pedido de promotora, para quem nomeação do pai pelo filho configura nepotismo

Justiça deu dez dias para afastamento do ex-prefeito da função de secretário
Justiça deu dez dias para afastamento do ex-prefeito da função de secretário

A juíza Juliana Marques Wendling, da 1ª Vara Cível de Carapicuíba, determinou o afastamento imediato do ex-prefeito Luiz Carlos Neves do cargo de secretário de Governo do Município.  A magistrada acatou o pedido do Ministério Público (MP) da cidade, para quem a nomeação de Luiz Carlos pelo filho, o prefeito Marcos Neves, configura nepotismo.

A ação popular foi apresentada ao MP pelo munícipe Eduardo Augusto de Andrade, que pedia a exoneração do ex-prefeito. A promotora Camila Moura e Silva acolheu os argumentos da ação e encaminhou à juíza o pedido de afastamento liminar (providência imediata enquanto a causa não é julgada em definitivo) de Luiz Carlos.

O nepotismo, que de forma genérica é a nomeação de parentes por agentes públicos, é vedado pela Súmula Vinculante nº 13 do Supremo Tribunal Federal (STF). No entender da corte, “a nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau”, viola a Constituição.

De acordo com a decisão da juíza, a decisão deve ser cumprida em dez dias, sob pena de afastamento forçado. Como a decisão é provisória, ela também dá prazo de 20 dias para que a defesa se manifeste.

O prefeito Marcos Neves ou seu pai podem recorrer, inclusive pedindo a derrubada da liminar até que o caso seja julgado no mérito.

A decisão do afastamento do ex-prefeito foi tomada pela juíza no dia 10/8 – apenas dois dias após o requerimento do Ministério Público de Carapicuíba.