Fim de contrato de OS ameaça atendimento do Sameb

3835

Prefeitura chamou informalmente funcionários demitidos pela gestora que deixa o serviço para evitar caos no atendimento

A Secretaria de Saúde de Barueri está convidando informalmente para o trabalho os funcionários do Pronto-Socorro Central (Sameb) demitidos com o fim do contrato da Organização Social (OS) Instituto Gerir. O motivo é que a sucessora da OS ainda está impedida de assumir o PS por razões legais e não há prazo para que isso aconteça.

osdois
Jorge Salomão e Amilton Rodrigues

A principal preocupação da gestão municipal é que o impasse cause danos ao atendimento no Sameb a partir desta terça-feira (25/9). Por isso, servidores concursados da rede municipal de saúde também foram chamados.

Durante toda a segunda-feira circularam informações desencontradas sobre o assunto. À tarde, representantes do Sindicato Único dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Osasco e Região (Sueessor) foram ao PS para ouvir os funcionários. Vários deles reclamaram que ainda tinham valores a receber da Gerir. Os avisos prévios dos demitidos venceram nos últimos dias.

No início da noite, o sindicato e um grupo de servidores reuniram-se com o secretário de Saúde, Jorge Salomão, que explicou a situação. Segundo o sindicato, os funcionários que foram demitidos e quiserem continuar trabalhando no período de transição podem fazê-lo, pois a entidade afirmou que acompanhará todo o processo para garantir o pagamento dos dias trabalhados. Foi divulgado um vídeo em que o secretário e Amilton Rodrigues, diretor sindical, reafirmam essas garantias.

Segundo apuração do Barueri na Rede, na noite de segunda, parte dos demitidos pela Gerir que deveriam trabalhar compareceu ao plantão.