Fabião é eleito presidente da câmara por unanimidade

1703

Com a desistência de Luiz do Supermercado Silva, eleito pôde disputar a presidência sozinho

Em seu segundo mandato, Fabião chega à presidência da Câmara de Barueri/Fotos: BnR

Fábio Luiz da Silva Rhormens, o Fabião (PCdoB), foi eleito na tarde desta terça-feira, 11/12, por unanimidade, presidente da Câmara de Barueri para o biênio 2019/2020. Até a segunda-feira, Luiz Fernando da Silva, o Luiz do Supermercado Silva (DEM), mantinha a intenção de concorrer, mas acabou retirando a candidatura.

Fabião tem 44 anos e está em seu segundo mandato, para o qual foi eleito com 3.437, a segunda maior votação da eleição de 2016. Antes de ser vereador em Barueri, ele ocupou a câmara de Mongaguá, onde nasceu, por duas vezes.

Depois de semanas de negociações, Fabião, que teve o apoio do prefeito Rubens Furlan, acabou chegando à eleição como candidato único. Além de Luiz do Supermercado, também Sérgio Baganha (PSDB) chegou a fazer campanha, mas abandonou a disputa no início do mês.

O novo presidente pretende fazer da inovação a sua marca. “Quero modernizar a câmara e seus processos, aperfeiçoar a gestão e investir na humanização das pessoas”, declarou, logo após a proclamação do resultado.

O novo presidente é cumprimentado por Luiz do Supermercado Silva, que abriu mão da candidatura

Da tribuna, ele afirmou que vai se esforçar para ser o melhor presidente da história da câmara barueriense. “Quero que essa casa alcance os mais elevados patamares da política brasileira”, disse, em seu discurso.

Fabião vai substituir Sebastião Carlos do Nascimento (DEM), o Carlinhos do Açougue, que presidiu a casa por dois biênios, um na gestão de Gil Arantes, outro na de Rubens Furlan. Ao passar a presidência a seu sucessor, Carlinhos disse que chega ao final de seus mandatos com o dever cumprido.

Além de Fabião, a mesa diretora da câmara eleita nesta terça será composta por Allan Miranda (PSDB), vice-presidente; Reinaldo Campos (Podemos), tesoureiro; Wilson Zuffa (PRB), 1º secretário; Neto Amorim (PV), 2º secretário; e Fabinho do Imperial (PSB), 3º secretário.