Ponte Preta e Atlético UFA se classificam para a final

92

As duas equipes se classificam para a decisão em disputa de pênaltis depois de placares definidos nos últimos segundos dos seus jogos 

Ainda sem data para a realização, Ponte Preta e Atlético UFA farão a final do futsal
Ainda sem data para a realização, Ponte Preta e Atlético UFA farão a final do futsal

Em  jogos disputados na tarde de sábado, 24/9, no Ginásio de Esporte José Correia, as equipes da Ponte Preta, do Jardim Belval, e Atlético UFA, do Engenho Novo, se classificaram para a final do Campeonato Amador de Futsal. Ambas as disputas foram decididas em cobrança de penais depois terminarem empatadas em 4X4 e com o placar sendo decididos nos segundos finais. A Ponte eliminou o Trovoada, do Mutinga e disputa a sua terceira final consecutiva na primeira divisão. Já o UFA tirou o Aliança, time com a melhor campanha do campeonato, que repete o ano passado quando também caiu na semifinal. Agora as equipes aguardam a definição pela Secretaria de Esportes de local e data para realização da grande final.

Ponte 4 X 4 Trovoada ( 4X3 nos pênaltis)

A Ponte Preta classificou-se para a terceira final consecutiva do campeonato municipal de futsal ao bater nos pênaltis o Trovoada após empate em 4 a 4 no tempo normal. A partida começou truncada, com muita marcação pelas duas equipes e poucas oportunidades de gol. A primeira chance só ocorreu aos 7 minutos, para a Macaca, em chute de Netinho que Bruno defendeu.

O Trovoada apostava no conjunto e era ligeiramente melhor, com Kennedy comandando as ações ofensivas. Mas o time não tinha objetividade na conclusão. A Ponte apostava no desempenho individual de seus atletas e deu certo. Aos 11 minutos, Peru, num toque primoroso por trás da zaga, encontrou Pedrinho livre para abrir o marcador. O gol deu tranqüilidade à Macaca, que se assentou melhor em quadra. Quando parecia que o primeiro tempo terminaria 1 a 0, Edmar ampliou na cobrança de falta no último minuto.

No início do segundo tempo, os times demonstravam mais vontade que técnica. Até que aos 7 minutos, Peru fez um golaço tirando dois adversários com o corpo e girando para bater firme no ângulo. Com 3 a 0 a favor, a Ponte se fechou e ao Trovoada restaram os chutes de fora, que morriam nos defensores ou nas mãos de Alê.

selecionada-2
Pedrinho marca o quarto gol da Ponte

Com o tempo passando rápido, o Trovoada apelou ao goleiro-linha. A proposta parecia dar certo quando Kaique diminuiu de cabeça em jogada de Kennedy, aos 12 minutos. Boy, como goleiro-linha, comandava a armação a dava nova dinâmica ao Trovoada. A pressão surtiu efeito. Aos 17, Alê foi obrigado a fazer grande defesa. Pouco depois, em tiro livre, Pitbull diminuiu para 3 a 2. Na saída, porém Pedrinho fez o quarto da Ponte em jogada de Samarone.

O gol poderia ser um balde de água fria, mas o time do Mutinga não se entregou e reduziu aos 19 com Kennedy em outro tiro livre para empatar a 3 segundos do final com Pitbull.

Nos pênaltis ocorreu um fato incomum. Os times perderam as seis primeiras cobranças. Quando acertaram o pé, não perderam mais até a sétima cobrança do Trovoada. Ao fim de sete batidas para cada lado, a Ponte saiu vitoriosa graças principalmente ao goleiro Ale, que pegou quatro cobranças do Trovoada.

Veja quem subiu: Rua da Bica e Unidos do Regina na final da segunda

Atlético UFA 4 X 4 Aliança (3X0 nos pênaltis)

Depois de ter sido eliminado na semifinal em 2015 e ter feito a melhor campanha deste ano, o Aliança acabou eliminado nos pênaltis pelo Atlético UFA no confronto dos times do Engenho Novo. Apesar de tomar a iniciativa desde o inicio, o Aliança não criava oportunidades e sua primeira chance só foi aparecer aos 5 minutos, quando William salvou o gol em cima da linha. O UFA jogava na espera, comandado mais uma vez por William e as estocadas de Buiu.

O Atlético começou a se acertar e abriu a contagem aos 10, com William Negão. Mas o predomínio do Aliança continuava e o empate veio aos 14, com Eric. O jogo ganhou outra dinâmica nos minutos finais. Aos 18 minutos veio a virada do Aliança, novamente com Eric, mas o UFA empatou na saída com Rafa e acabou sofrendo o terceiro gol aos 19, marcado por Pedrinho.

A cobrança de Lucas que definiu a disputa
A cobrança de Lucas que definiu a disputa

Na volta do segundo tempo, o Atlético empatou no primeiro lance em gol de Birão. O novo empate trouxe equilíbrio ao jogo e as chances reais de gol desapareceram. Mas o Aliança aos poucos foi se impondo, enquanto o UFA sentia a falta de William Negão, que saiu no intervalo. O goleiro Lucas passou a ser exigido, mas o quarto gol do Aliança só aconteceria aos 15 minutos, com Juninho.

O Atlético foi para o tudo ou nada, com Rafa de goleiro-linha. A pressão aumentou e Faca evitou o empate em grande defesa aos 17 minutos. Mas quando a vitória do Aliança parecia certa,William fez o 4 a 4 a meio minuto do fim.

Na disputa de pênaltis, enquanto o UFA marcou suas três primeiras cobranças, o Aliança errou duas e amargou a segunda queda seguida em semifinal.

[sam_ad id=”18″ codes=”true”]