ELEIÇÕES – Para Julio Leal, chega de candidatos forasteiros

1858

Candidato critica políticos de fora apoiados por lideranças locais que têm grande votação em Barueri e depois viram as costas

Julio Leal, candidato a deputado estadual pelo Partido Social Liberal (PSL), acha que chegou a hora de dar um basta aos políticos que só vêm a Barueri na época das eleições. Ele cita como exemplos Gilberto Kassab, Rodrigo Garcia, Reynaldo de Barros Filho, Silvio Peccioli e até mesmo Gil Lancaster. “O que eles fizeram pela região?”, pergunta. “Vêm aqui, apoiados por políticos locais, enchem a mala de votos e esquecem completamente da cidade.”

leal

Para ele, que tem o número 17.243, o eleitor barueriense é apenas usado para atender acordos que não beneficiam Barueri em nada. “Agora o prefeito está enfiando três candidatos de fora na goela do povo e não apoia nenhum candidato daqui, nem o vereador da base dele na câmara”, afirma, referindo-se a Robertinho Mendonça, que também tenta a eleição.

Julio entende que a cidade tem que ter deputado estadual próprio. “Temos que ter um representante daqui, que lute pela cidade, traga recursos”, diz ele. “E também que possa ser cobrado pela população.” Por isso, considera que o ideal era fazer dobrada com um federal também da cidade ou da região.

Em suas contas, analisando os candidatos de seu partido, Julio precisa ter cerca de 30 mil votos para conseguir uma cadeira no parlamento paulista. Ele pretende buscar metade disso em Barueri e um valor igual no interior e no litoral. É para isso que está trabalhando.

“Ninguém mais aguenta a política como está sendo feita hoje, tanto em Barueri quanto no país”, afirma, ao falar da Assembleia Legislativa, onde pretende estar em 2019. “Os deputados estaduais estão totalmente descompromissados com o país”, acusa. Ele cita o fato de recentemente, em meio a uma crise econômica sem precedentes, os deputados terem aumentado seus salários para R$ 30 mil e a verba de gabinete para R$ 130 mil mensais. “Se for eleito, eu me comprometo a devolver metade dessa verba”, promete.

Julio considera os altos impostos um dos grandes problemas do país, e não vê esforço na classe política para mudar a situação. “Pelo contrário, não mexem na carga tributária, mas aumentam os gastos em regalias para eles próprios”, desabafa. Ele pretende trabalhar para mudar essa situação. “Hoje, a Assembleia Legislativa é totalmente inoperante, não fiscaliza nem é fiscalizada.”

Julio também quer atuar na contramão do que ele chama de “imoralidade generalizada”  na sociedade, contra os valores familiares. “Quero agregar gente que valorize a família e a ordem, contra a anarquia”, explica. “Temos que lutar por uma igualdade de tratamento, sem a militância que cria divisões entre as pessoas.”

Para presidente da República, ele vai com o candidato de seu partido, Jair Bolsonaro. Mas não apenas por isso. Julio considera que o ex-capitão é a única esperança que há em termos de algo novo no país. “Os outros candidatos eu já vi o que fizeram, e para mim, não servem”, afirma. “Bolsonaro é a esperança de botar ordem no país.”

Julio Leal tem 46 anos. Nasceu no interior paulista, em Assis, e veio para Barueri pela primeira vez com um ano de idade. Sua família, que morava no Jardim Belval, mudou-se para Osasco e voltou quando ele tinha cinco anos. Sempre trabalhou com negócio próprio, especialmente na área de transportes, mas atuou também na imprensa e hoje é comerciante. Atualmente mora no Jardim Silveira, é casado e tem três filhos e uma neta.