Editorial – Os significados do perdão

69

Ainda repercute nos meios políticos de Barueri o pedido de desculpas feito pelo ex-prefeito Rubens Furlan ao presidente da Câmara Municipal, Sebastião Carlos do Nascimento, o Carlinhos do Açougue

Como se sabe, em entrevista dada a um jornal local, Furlan chamou Carlinhos de medíocre e desprezível. O ataque era uma resposta a reportagem publicada pelo Barueri na Rede que dizia que o ex-prefeito admitira pela primeira vez em público ser impedido pela Justiça de disputar a eleição deste ano. A afirmação foi feita numa reunião diante de 19 vereadores e outros presentes.

Talvez acostumado a tempos felizmente já passados, Furlan não mediu as consequências de seu ato. As ofensas tiveram repercussão negativa em tempos em que a informação chega a todos os cidadãos em altíssima velocidade.

Além disso, o ex-prefeito depende de Carlinhos para tentar tirar de sua frente um dos obstáculos a sua candidatura. Em 2014, a câmara de Barueri reprovou as contas da gestão de Furlan relativas ao ano de 2011, tornando-o inelegível.

Hoje, ele se empenha em anular a decisão e, para isso, precisa que os vereadores refaçam a votação. No entanto, para que o tema seja novamente discutido, depende que Carlinhos o coloque em votação, pois é prerrogativa dele, presidente da Casa, definir a pauta.

Ciente do erro que havia cometido, o ex-prefeito voltou ao mesmo jornal dizendo ter sido precipitado nas ofensas e pedindo desculpas a Carlinhos. Mais que isso, elogiou o vereador e sua gestão à frente da câmara.

Janela

Se foi movido pela sinceridade ou pela necessidade, jamais saberemos, devemos dar-lhe o crédito, mas o fato é que o episódio revela que novos tempos estão surgindo na política. Cada vez mais diminui o espaço para que se assuma o papel de proprietário do jogo político. A política é a arte do diálogo, e onde essa regra não impera, o que sobra é o totalitarismo. Que esses tempos tenham terminado.

O episódio também tem outro viés interessante. Cegos em sua idolatria ao ex-prefeito, alguns leitores do Barueri na Rede se insurgiram contra o site. Fomos chamados, entre outras coisas, de mentirosos.

Pois a retratação de Furlan nos dá razão. Em seu pedido de desculpas, o ex-prefeito admite tudo o que está na reportagem por nós publicada, tanto quanto ao teor da reunião, quanto a seus temores. Entre malabarismos retóricos, confirma o que dizíamos, que sabe perfeitamente que sua candidatura é incerta.

Àqueles que preferiram nos atacar em vez de se certificar do que dizíamos, vale lembrar da velha lição que diz que se a notícia é ruim, não adianta matar o mensageiro.

[sam_ad id=”17″ codes=”true”]