Detritos do Rio Pinheiros irão para a Lagoa de Carapicuíba

915

Estimativa é que, em um ano da limpeza do rio, a cidade vizinha receberá 1,2 milhão de metros cúbicos de dejetos

A Lagoa de Carapicuíba, próxima ao Tamboré, receberá 1,2 milhão de metros cúbicos de detritos retirados na limpeza do Rio Pinheiros. A previsão é de que o montante será depositado em um período de um ano.

O anúncio foi feito pelo governo do Estado de São Paulo na última sexta-feira, 12/7, e faz parte do projeto Novo Rio Pinheiros. Dos 1,2 milhão de metros cúbicos, 500 mil serão retirados do fundo do rio e 700 mil sairão das áreas de depósito de sedimentos.

Para retirar os dejetos do rio serão utilizadas plataformas flutuantes equipadas com escavadeiras, que recolherão os sedimentos e os depositarão em barcaças para serem levadas até à margem. Depois disso, caminhões farão o transporte até a Cava, ou Lagoa, de Carapicuíba, que fica na divisa com Barueri.

Em um ano, o serviço de desassoreamento e desaterro custará por volta de R$ 70 milhões, com o objetivo de aumentar a oxigenação e a dissolução de poluentes. O plano da gestão estadual é remover 2,4 milhões de metros cúbicos de sedimentos nos próximos anos e entregar o Pinheiros limpo até dezembro de 2022, ano em que termina o mandato do governador João Dória.

A Lagoa de Carapicuíba também já recebeu detritos do Rio Tietê por duas vezes, uma no início dos anos 2000 e outra em 2011. A área já abrigou o antigo aterro da cidade e, após o último despejo de materiais do Tietê, foi construído no entorno o Parque Gabriel Chucre. O terreno também é cogitado para ser a nova sede do Ceagesp.