Com críticas a Furlan e à Câmara, candidatos debatem na praça

98

Saulo Góes, Néo Marques e Cláudio Paes participaram de evento organizado pela Comissão de Servidores Públicos e discutiram principais problemas da cidade

Cláudio Paes, Néo Marques e Saulo Goes responderam a questões dos servidores públicos sobre os problemas de Barueri/Fotos: Verônica Falco

19 de Setembro de 2016

Debaixo de um sol de 33°C, os candidatos a prefeito Saulo Goes (Psol), Claudio Paes (Rede) e Néo Marques (PMN) participaram na tarde deste domingo, 18/9, na praça dos Estudantes, diante da Câmara Municipal, de um debate promovido pela Comissão dos Servidores Públicos de Barueri. O quarto concorrente ao Executivo, Rubens Furlan (PSDB), também foi convidado, mas não compareceu.

A comissão pretendia realizar o evento no auditório da câmara, mas o pedido foi recusado por recomendação do Departamento Jurídico do Legislativo, com o argumento de que o encontro poderia ferir a lei eleitoral.

p1060230
Néo Marques (PMN)

Na abertura do debate, os funcionários manifestaram-se contra a proibição, que consideram antidemocrática, e mostraram um despacho da juíza eleitoral de Barueri, Renata Bittencourt Couto da Costa, em que ela afirma que não há impedimento para a realização do evento em recinto público, desde que garantidas as condições de igualdade entre os candidatos. A Procuradoria da Câmara, no entanto, entendeu que a manifestação da magistrada não era uma determinação e manteve o veto.

Leia aqui sobre a negativa da câmara: Câmara nega auditório e debate muda de lugar

Os organizadores também criticaram Rubens Furlan por não ter comparecido e leram uma pergunta sorteada para ser feita ao ex-prefeito sobre o funcionalismo municipal. A comissão enviará a pergunta à assessoria do candidato.

O debate teve duas rodadas de perguntas feitas por servidores e a imprensa a cada candidato com temas previamente definidos e sorteados no momento. Ao final, os três falaram sobre um assunto comum a todos.

Primeira rodada

A primeira rodada foi aberta por Saulo Góes, que respondeu sobre os planos de carreira do funcionalismo aprovados este ano pela câmara. Ele afirmou que pretende contratar uma consultoria para refazê-los junto com os servidores num modelo que contemple o crescimento de cada profissional.

p1060232
Saulo Goes (Psol)

A pergunta a Néo Marques era sobre a terceirização de creches. O candidato disse que é contra pois, segundo ele, nesse modelo, cada contratado custa muito mais caro ao município mas os benefícios não vão para o empregado, e sim para a empresa terceirizada. Ele afirmou ainda que muitas pessoas foram aprovadas em concursos para trabalhar nas maternais, mas até hoje não foram chamadas. Por fim, declarou que um dos motivos para que faltem vagas nas creches é que crianças de outras cidades são matriculada em Barueri para atender necessidades de políticos do município.

Respondendo sobre transporte público, Cláudio Paes afirmou reprovar o modelo de monopólio que impera na cidade. Ele também disse que o transporte e a gestão da mobilidade urbana de Barueri não têm planejamento, mas são sempre provisórios e baseados na experimentação, no “faz e desfaz”.

Segunda rodada

Na segunda rodada, Saulo teve que falar sobre a falta de reajuste salarial para o funcionalismo. O candidato disse que vai procurar recompor as perdas dos últimos cinco anos. Saulo afirmou que não é justo os servidores terem os vencimentos achatados enquanto os vereadores concedem a si próprios reajuste de 26%.

Néo falou na sequência sobre a merenda escolar e o fato de a prefeitura nunca ter cumprido a determinação de comprar alimentos diretamente de pequenos produtores. Ele se comprometeu a fazer cumprir a lei e também afirmou ser contra a existência de cantinas nas escolas, uma vez que, segundo ele, elas não vendem produtos saudáveis e são prejudiciais à saúde dos estudantes.

p1060234
Cláudio Paes (Rede)

Cláudio encerrou a fase de perguntas respondendo sobre saúde. Ele explicou que um de seus planos é contratar empresas médicas temporariamente para acabar com as filas de exames no município. Disse também que é favorável à assinatura de convênios com faculdades públicas de medicina para ampliar a capacidade de atendimento da rede municipal.

 

Mobilidade urbana

O debate foi encerrado com a apresentação de um mesmo tema para os três candidatos: mobilidade urbana. Saulo afirmou que a cidade não tem plano diretor, o que permitiu a multiplicação de grandes condomínios sem a contrapartida em serviços públicos, como escolas e unidades de saúde. Segundo eles, esses empreendimentos jogarão milhares de veículos nas ruas, o que provocará grandes gargalos de trânsito.

Néo defendeu a adoção de micro-ônibus nos bairros e a criação de terminais fechados e bolsões, onde o passageiro possa trocar livremente de ônibus sem pagar uma segunda passagem. Cláudio defendeu a liberação do Uber na cidade. Segundo ele, toda medida que traga benefícios à população deve ser estimulada. O candidato também afirmou que é preciso acabar com o comércio de licenças de táxis na cidade.p1060257

Ao final das discussões, os três se comprometeram a assinar a Carta Compromisso dos Candidatos com os Servidores Públicos do Município de Barueri. Como eles fizeram sugestões de acréscimos e modificações no texto, o documento será enviado às diversas categorias do funcionalismo municipal para avaliação das propostas e redação final.

Após o debate dos candidatos a prefeito, houve um novo debate entre candidatos a vereador que são servidores públicos.