TV reacende denúncia de vereador que ameaçou assessor de morte

2440

Reportagem do SBT mostra denúncia de ex-assessor de Luizinho do Camargo, publicada pelo BnR em fevereiro

Foto: Reprodução SBT

O caso envolvendo supostas ameaças de morte do vereador Luizinho do Camargo (PDT) ao ex-chefe de gabinete do parlamentar, Cristiano de Paulo Grohmann, voltou a circular na mídia. Uma reportagem do SBT mostra o áudio de uma conversa na qual um homem, que seria o vereador, pede para o ex-assessor Marcelo dos Santos Dantas assassinar Cristiano.

Ao SBT, Cristiano, que foi exonerado do cargo de chefe de gabinete, afirma que cada assessor era obrigado a repassar uma verba de R$ 2,5 mil ao vereador. Segundo Cristiano, isso totalizou o valor de R$ 140 mil. Luizinho teria ficado com a metade do montante.

De acordo com o ex-assessor Marcelo dos Santos Dantas, que teria gravado uma conversa com Luizinho, o vereador pediu que ele cobrasse o 13º e 14º salários, além das férias de Cristiano, e o matasse. “Você tenta fazer um acordo com ele, entendeu? Se você puder ir de madrugada lá, dá pra você? Pega o trabuco, mata o ‘véio’ e já era”, afirma a voz de um homem, que seria o parlamentar. A gravação ainda não passou pela perícia.

Quem decidiu divulgar o caso foi Bruno Oliveira, coordenador do PDT em Barueri. Segundo disse Bruno ao SBT, a Câmara Municipal arquivou o caso alegando falta de provas. Ele então solicitou esclarecimentos ao Ministério Público (MP) e encaminhou as denúncias à Câmara, pedindo o afastamento do vereador enquanto as investigações não forem concluídas.

Ao SBT, Luizinho declarou que desconhece tais alegações e que se os ex-funcionários disseram isso, teriam que provar. “Eu não sabia que ele [Marcelo] estava gravando. Ele chegou falando que eu devia um dinheiro pra ele, por que ele é amigo do Cristiano”, afirma o vereador à reportagem. “E tenho prova de amigos meus, de que o Cristiano pagou ele para ele me gravar”, completa Luizinho, dizendo que seria um plano do ex-chefe de gabinete para cassar seu mandato e deixar o suplente no cargo.

BnR adiantou o caso

Em fevereiro, o Barueri na Rede adiantou o caso. O servidor, que na ocasião não teve o nome revelado, declarou que em dezembro, após ter se desentendido com o vereador, passou a sofrer ameaças. Posteriormente, ele foi demitido do cargo (relembre).

Luizinho contou ao BnR que não ameaçou ninguém e que era vítima de difamação. A demissão do funcionário teria ocorrido por conta dos reajustes que foram realizados no quadro funcional da Câmara com a eleição da nova mesa diretora.

Urgente vereador de Barueri acusador de mandar matar assessor

Posted by Alexandre Nene on Thursday, March 28, 2019