Proibição para soltar pipas vale também para o Parque Cananéia, no Imperial

532

Local entrou na lista recentemente, porque estava em reforma. Lei já contemplava o Parque Municipal e o Parque Ecológico

Além do Parque Municipal de Barueri – Dom José e o Parque Ecológico, a proibição de soltar pipa agora também está valendo para o Parque de Lazer Taddeo Almeida Cananéia da Silva, no Parque Imperial. O local, inaugurado em 2012, passou por reforma e foi reaberto em outubro de 2018.

A proibição no parque recém-reformado foi determinada pelo decreto da Secretaria do Meio Ambiente, publicado no Diário Oficial. De acordo com a Secretaria de Comunicação (Secom), a resolução antiga contemplava apenas o Parque Dom José (Jardim Maria Tereza) e o Parque Ecológico (Alphaville), por isso, foi feita uma nova edição incluindo a proibição de pipa no Parque de Lazer Taddeo Almeida Cananéia da Silva.

O uso de cerol em linhas de pipa é proibido em Barueri desde 2003 pela Lei 1.384, assim como o uso de linha chilena, proibida pela Lei 2.054 de 2011. Em julho do ano passado, uma criança de nove anos ficou enroscada em um linha de pipa com cerol enquanto pedalava com sua bicicleta na divisa com Jandira. Ele precisou passar por uma cirurgia de reconstrução dos tecidos e órgãos afetados no HMB (relembre o caso).

Após o caso, a soltura de pipas e papagaios nos parques Dom José e Ecológico foi proibida pela Secretaria de Recursos Naturais e Meio Ambiente (Sema). As duas unidades chegam a receber 10 mil usuários aos finais de semana. Outro caso noticiado pelo Barueri na Rede foi em setembro do ano passado, em que adolescentes foram flagrados durante o dia soltando pipa em cima da cobertura do Ginásio José Correa, no Centro (leia mais).

Recentemente, o BnR recebeu o relato de um morador do Jardim Belval, que viu adultos empinando o brinquedo com linha cortante em uma praça do bairro, na rua Eng. Oscar Kesselring. “Acionei ontem [9/7], a Guarda Municipal pelo app de Barueri, porém não obtive retorno”, relatou o leitor (recorde). Outro caso recente foi noticiado no início de agosto, quando o Centro de Animais Silvestres de Barueri (Cetas) registrou oito casos de pássaros machucados com a linha de pipa cortante (relembre).