Professor da rede pública faz palestra em evento do Google sobre tecnologia

241

Ignácio Javier, professor de informática na Emef Padre Elídio Mantovani, criou junto aos alunos um jornal escolar na plataforma do Google For Education chamado ‘Elídio News’

Jornal escolar teve início com ideia de divulgação de projeto de xadrez, mas, se tornou um noticiário de atividades escolares/Foto: Divulgação

O professor da rede pública de Barueri, Ignácio Javier, foi um dos palestrantes no evento do Google Inovar para o Brasil, que ocorreu na quarta-feira, 14/8, na cidade de São Paulo. O educador de informática representou a escola Emef Padre Elídio Mantovani, do Parque dos Camargos, com o projeto de um jornal escolar nas plataformas do Google.

A plataforma utilizada no jornal foi o Google For Education, e o convite ao educador Ignácio Javier surgiu por Barueri ser a primeira cidade a usar a ferramenta em toda a rede pública de ensino, além de o projeto do jornal escolar ter chamado a atenção. A tecnologia permite aos professores garantir um aprendizado personalizado a cada turma, com o objetivo de ter um maior desempenho.

O professor Ignácio Javier foi um dos palestrantes no evento do Google ‘Inovar para o Brasil’, na quarta-feira, 14/8/Foto: Divulgação

Ignácio, que é morador do município de Jandira, contou ao Barueri na Rede que além de ser professor de informática ele dá aulas de educação física, e a oportunidade para lecionar na Emef Padre Elídio surgiu no início de 2019. “Assim que cheguei na escola, tive a ideia de criar um projeto de xadrez para os alunos do 9º ano, tendo em vista os benefícios do jogo como raciocínio lógico, criatividade e concentração”, revela o professor. Porém, o projeto não parou por ai. “O xadrez passou a ser uma atividade extracurricular para todos os alunos interessados. Para minha surpresa as competições tiveram tanta repercussão que decidi fazer uma espécie de ‘jornalzinho’ escolar, algo simples e despretensioso, para a divulgação do xadrez”, revela Ignácio Javier ao BnR.

O objetivo inicial do projeto de Ignácio era o de chamar a atenção dos alunos para a prática de xadrez, sendo o jornal apenas um complemento para a divulgação. “A diretora e supervisora do colégio gostaram do projeto envolvendo o xadrez, e decidiram chamar a Suseli Honório, da área da educação, para fazer uma matéria”, menciona o educador em entrevista ao BnR. Porém, o jornal que tinha antes apenas uma capa e folha única, com o objetivo de repercutir os campeonatos de xadrez, foi ganhando forma e chamou a atenção mais do que o previsto. “Quando a Suseli chegou a escola, conversou com os alunos e viu o folheto sobre o projeto logo me disse – eu gostei do xadrez, mas quero ver mais sobre esse jornal – e a fala dela me incomodou de forma positiva, foi como um cutucão, já que o xadrez era o foco do meu projeto”, desabafa Ignácio.

Ao se dar conta que o projeto de um jornal escolar poderia chamar a atenção e ajudar aos alunos, o professor decidiu começar a divulgar todas as atividades que eram realizadas na escola, não apenas o xadrez. Ignácio conta que achou o trabalho final razoável, porém, assim que a escola recebeu as ferramentas do Google For Education, o trabalho começou a ficar mais profissional. “Então passei a utilizar o conhecimento que tenho na área da informática juntamente com a possibilidade de usar a ferramenta Documentos do GSuite para a realização do jornal colaborativo. Os grupos de alunos são mistos, com bons alunos em produção de texto, outros com dificuldades extremas, alguns com ótimos comportamentos, já outros com ocorrências de mau comportamento. A equipe ficou mista e variada, e todos conseguiram se encaixar em funções de redatores, ilustradores, entrevistadores e fotógrafos”.

Segundo Ignácio, a reviravolta no projeto ocorreu com a chegada dos chromebooks na escola. “O projeto era feito por meio de e-mails pessoais dos alunos, nos computadores de informática da escola, que estavam em situação precária (internet e máquinas lentas). Com a chegada dos chromebooks, realizar as edições do Elídio News – nome dado ao jornal da escola – o trabalho ficou mais fácil e ganhou uma maior visibilidade”.

“A palestra no evento do Google durou 10 minutos, que já era um tempo estipulado, mas fiquei lisonjeado em participar. Pude conhecer pessoas com alto grau na educação e que só me passaram coisas que podem agregar o meu trabalho. Meu trabalho dobrou, mas com ele veio a recompensa e reconhecimento de alunos e colegas de trabalho, algo que motiva qualquer um a querer melhorar ainda mais”, termina o professor Ignácio Javier ao Barueri na Rede.