Poliomielite: campanha contra paralisia infantil começa em 6/8

934

Imunização ocorre regularmente nas UBS da cidade mas, devido a baixa cobertura vacinal no país, o Ministério da Saúde realizará campanha

A campanha de vacinação contra a poliomielite do Ministério da Saúde começa no próximo dia 6/8. Voltada para bebês de dois, quatro e 15 meses, e crianças de até quatro anos de idade, a campanha contra a paralisia infantil vai até 24 de agosto em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS), com o dia “D” sendo realizado no sábado, 18/8, das 8 às 17 horas nas UBS, SAE e postos volantes. No mesmo período também será realizada a campanha contra o sarampo.

Conhecida como paralisia infantil, a poliomielite é uma doença viral que afeta o sistema nervoso, destruindo os neurônios motores e levando à paralisia dos braços ou pernas. O vírus entra pelas vias nasais ou orais – mais frequente – e se multiplica na garganta e no trato intestinal.

A transmissão ocorre no contato direto de pessoa a pessoa ou por muco, catarro ou fezes infectadas, além de objetos, alimentos e água contaminados com o vírus de doentes ou portadores da doença. Más condições de higiene pessoal e de habitação favorecem a transmissão do poliovírus.

Os principais sintomas são febre, garganta inflamada, dor de cabeça, vômito, fadiga, dor ou rigidez nos braços e pernas, dor nas costas, fraqueza muscular ou sensibilidade, e meningite. Os sinais levam de cinco a 35 dias para se manifestar no infectado, mas a média é de duas semanas.

Bebês de dois a quatro meses de idade devem tomar a vacina inativada de poliomielite (VIP), que é aplicada por meio de injeção. Já as crianças dos seis meses, 15 meses e quatro anos, tomam a vacina oral (VOP), a famosa gotinha.

Campanha em Barueri 

Apesar da campanha nacional contra a poliomielite ocorrer de 6 a 24/8, a vacina contra a doença é aplicada na rotina de todas as UBS do município. “Nos anos de 2016 e 2017 não houve diretriz do Ministério da Saúde para realização de campanhas de vacinação, sendo a vacina aplicada normalmente na rotina de todas as Unidades Básicas de Saúde do município”, afirma a prefeitura.

Barueri já atingiu a cobertura de 96,12%, para crianças menores de um ano, e 91,03%, para crianças de até quatro anos, considerando vacinas aplicadas até maio de 2018. A última campanha, estabelecida pelo Ministério da Saúde, ocorreu em 2015. A cidade aplicou 19651 doses, e atingiu a cobertura de 102,34% no período da campanha.

Poliomielite no Brasil

A poliomielite foi considerada doença endêmica – que se manifesta em determinada região, não se espalhando para outras comunidades – no Brasil no início do século XX. Para se ter uma ideia, só em 1975 foram notificados 3600 casos de poliomielite no país. Com campanhas de vacinação e o Programa Nacional de Imunizações (PNI), que existe há 44 anos, o Brasil erradicou a polimielite. O último caso registrado no país foi em 1990.

No entanto, o Ministério da Saúde ligou o sinal de alerta por diversos municípios brasileiros não terem atingido a cobertura vacinal considerada ideal, que é acima de 95%, na última campanha de vacinação.

Manter o índice de cobertura acima de 95% é fundamental para que a doença não seja reintroduzida no país. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), Paquistão, Nigéria e Afeganistão são os países considerados endêmicos. Em junho deste ano, chegou a ser anunciado pela organização um caso de poliomielite na Venezuela mas, após testes, foi descartada a possibilidade.