Polícia Civil prende acusados de pedofilia em Barueri durante operação

7147

Rede de transmissão de vídeos pornográficos envolveu quase 50 pessoas em 21 cidades, entre elas está Barueri

Na manhã desta terça-feira, 20/2, a Polícia Civil de São Paulo prendeu 33 pessoas acusadas de pedofilia durante a Operação Harpócrates. Além de computadores, celulares e mídias utilizadas no esquema de distribuição de material pornográfico envolvendo crianças.

A ação cumpre 49 mandados de busca e apreensão em 21 cidades da Grande São Paulo, o que inclui Barueri; Carapicuíba; Osasco; Santana do Parnaíba; Itapevi; Jandira e Cotia.

As investigações estão em andamento há seis meses e são comandadas pela Seccional de Taboão da Serra da Polícia Civil, onde uma denúncia anônima de um suspeito de armazenar material pornográfico foi o estopim para o início da operação.

Com o levantamento do número de IP do computador deste primeiro suspeito, a polícia descobriu uma rede de distribuição de fotografias e vídeos de crianças e adolescentes em cenas de sexo explícito que incluía 49 pessoas.

A Operação Harpócrates encaminhará os presos aos centros de Detenção Provisória de cada uma das 21 cidades e, em seguida, os acusados passarão por audiências de custódia.

De acordo com o artigo 241 do Estatuto do Menor e do Adolescente (ECA), a pena para o crime de armazenar fotografias e vídeos pornográficos envolvendo crianças e adolescentes é de quatro anos de detenção. Sendo que para quem transmite o material a pena é maior e não há a possibilidade do pagamento de fiança.

A operação também conta com o apoio do Departamento de Polícia Judiciária da Macro São Paulo (Demacro), assim como mais de 100 viaturas e 250 policiais à frente das investigações.